acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indicadores

Indústria contabiliza avanços em Minas Gerais

27/05/2013 | 14h59

 

O segmento industrial mineiro tem diversos motivos para comemorar. As atividades do setor em Minas se destacam dentre os demais estados do país e crescem a cada mês. É o que mostra a Pesquisa Mensal de Produção Industrial, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em maio. A produção industrial do estado avançou 4,4% em março deste ano em comparação com o mês anterior, enquanto a média nacional de crescimento foi de apenas 0,7%.
Das 14 regiões pesquisadas, o desempenho de Minas Gerais só não foi superior ao do estado do Paraná, que registrou evolução de 5,4%. No acumulado dos últimos 12 meses - março de 2012 a março de 2013 - a indústria brasileira teve queda de 2% e a mineira, alta de 1,4%.
A secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, atribui os bons resultados às políticas públicas adotadas pelo governo. “O grande desafio de Minas Gerais é manter o crescimento econômico superior ao do país. Neste sentido, além das ações desenvolvidas pelo Governo de Minas, as nossas parcerias, com os setores públicos e privados, são fundamentais para garantir o fluxo de investimentos para o estado”, destacou.
Também nesta semana, foi divulgado o relatório de indicadores da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). De acordo com o levantamento, o faturamento real das indústrias no estado cresceu 23,1% em março deste ano, em relação ao mês anterior. “É um resultado muito positivo, que demonstra que Minas vem conseguindo registrar recuperação importante na produção industrial, principalmente se compararmos com o baixo crescimento médio da indústria brasileira no período”, completou a secretária, que cumpriu agenda oficial em Londres, no sábado (25), no Dia Nacional da Indústria, com o governador Antonio Anastasia.
“Os setores extrativo mineral (15,11%) e veículos automotores (15,07%) foram os que mais contribuíram para o crescimento. As horas trabalhadas na produção expandiram 8,58% em março frente ao mês anterior. De janeiro a março de 2013, perante igual período de 2012, o indicador foi 3,83% maior, com destaque para os setores de bebidas (34,47%), veículos automotores (18,02%) e de couro e calçados (15,92%)”, analisa o presidente do Conselho de Política Econômica e Industrial da Fiemg, Lincoln Fernandes.
Ao comparar o desempenho registrado no primeiro trimestre de 2013 com o mesmo período do ano anterior, o avanço foi de 2,55%. Os principais setores responsáveis pela performance positiva foram o setor automobilístico e o extrativismo mineral, que apresentaram incremento no faturamento de 15,07% e 15,11%, respectivamente, no primeiro trimestre. A indústria de máquina e equipamentos (12,86%), farmacêutica (26,74%) e de celulose (13,87%) também contribuíram para o desempenho favorável.
Estado é o segundo maior exportador
A indústria mineira também se destaca no mercado externo. No ano passado, 13,8% das exportações brasileiras foram realizadas por Minas Gerais e o estado manteve a segunda posição no ranking dos maiores exportadores brasileiros. Do total de exportações, segundo a Central Exportaminas, os setores industrializados foram responsáveis por US$ 14,13 bilhões, do total de US$ 33,43 bilhões que o estado exportou. Do total de exportações, que atingiram US$ 33,4 bilhões no ano passado, os setores industrializados foram responsáveis por US$ 14,13 bilhões.
E o crescimento não é observado apenas nos setores ligados a commodities: no ano passado, o setor de produtos farmacêuticos foi o que mais cresceu em valor nas exportações do estado, e o setor de combustíveis, o que mais cresceu em porcentagem. A indústria de alta tecnologia mineira, como um todo, exportou 83,5% mais do que em 2011.
Para estimular este crescimento, o Governo de Minas tem sólidos programas de atração e diversificação da economia, bem como de apoio à indústria instalada no estado. Este ano, o estado dispõe de R$ 600 milhões em fundos estaduais para aplicar em estímulos à atividade industrial.
A qualificação dos trabalhadores para atuar na indústria também é um dos focos de estímulo à atividade. Por meio de recursos da Fapemig, o Governo do Estado publica, frequentemente, editais para o desenvolvimento de bases de produção e para a formação e especialização de mão de obra de nível superior.
O Programa de Educação Profissional (PEP), da Secretaria de Estado de Educação, é outro exemplo de iniciativa no sentido de preparar a população para atuar nos diversos setores econômicos. Desde sua criação, em 2007, o programa já ofertou 89 cursos em 132 municípios, qualificando mais de 140 mil alunos.
Outro aspecto que contribui para a atividade industrial no estado são as políticas de simplificação e desburocratização do governo. Um exemplo é o Projeto Descomplicar, criado com o objetivo de simplificar e agilizar as relações do estado com as empresas e os cidadãos.

O segmento industrial mineiro tem diversos motivos para comemorar. As atividades do setor em Minas se destacam dentre os demais estados do país e crescem a cada mês. É o que mostra a Pesquisa Mensal de Produção Industrial, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em maio. A produção industrial do estado avançou 4,4% em março deste ano em comparação com o mês anterior, enquanto a média nacional de crescimento foi de apenas 0,7%.


Das 14 regiões pesquisadas, o desempenho de Minas Gerais só não foi superior ao do estado do Paraná, que registrou evolução de 5,4%. No acumulado dos últimos 12 meses - março de 2012 a março de 2013 - a indústria brasileira teve queda de 2% e a mineira, alta de 1,4%.


A secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, atribui os bons resultados às políticas públicas adotadas pelo governo. “O grande desafio de Minas Gerais é manter o crescimento econômico superior ao do país. Neste sentido, além das ações desenvolvidas pelo Governo de Minas, as nossas parcerias, com os setores públicos e privados, são fundamentais para garantir o fluxo de investimentos para o estado”, destacou.


Também nesta semana, foi divulgado o relatório de indicadores da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). De acordo com o levantamento, o faturamento real das indústrias no estado cresceu 23,1% em março deste ano, em relação ao mês anterior. “É um resultado muito positivo, que demonstra que Minas vem conseguindo registrar recuperação importante na produção industrial, principalmente se compararmos com o baixo crescimento médio da indústria brasileira no período”, completou a secretária, que cumpriu agenda oficial em Londres, no sábado (25), no Dia Nacional da Indústria, com o governador Antonio Anastasia.


“Os setores extrativo mineral (15,11%) e veículos automotores (15,07%) foram os que mais contribuíram para o crescimento. As horas trabalhadas na produção expandiram 8,58% em março frente ao mês anterior. De janeiro a março de 2013, perante igual período de 2012, o indicador foi 3,83% maior, com destaque para os setores de bebidas (34,47%), veículos automotores (18,02%) e de couro e calçados (15,92%)”, analisa o presidente do Conselho de Política Econômica e Industrial da Fiemg, Lincoln Fernandes.


Ao comparar o desempenho registrado no primeiro trimestre de 2013 com o mesmo período do ano anterior, o avanço foi de 2,55%. Os principais setores responsáveis pela performance positiva foram o setor automobilístico e o extrativismo mineral, que apresentaram incremento no faturamento de 15,07% e 15,11%, respectivamente, no primeiro trimestre. A indústria de máquina e equipamentos (12,86%), farmacêutica (26,74%) e de celulose (13,87%) também contribuíram para o desempenho favorável.



Estado é o segundo maior exportador


A indústria mineira também se destaca no mercado externo. No ano passado, 13,8% das exportações brasileiras foram realizadas por Minas Gerais e o estado manteve a segunda posição no ranking dos maiores exportadores brasileiros. Do total de exportações, segundo a Central Exportaminas, os setores industrializados foram responsáveis por US$ 14,13 bilhões, do total de US$ 33,43 bilhões que o estado exportou. Do total de exportações, que atingiram US$ 33,4 bilhões no ano passado, os setores industrializados foram responsáveis por US$ 14,13 bilhões.


E o crescimento não é observado apenas nos setores ligados a commodities: no ano passado, o setor de produtos farmacêuticos foi o que mais cresceu em valor nas exportações do estado, e o setor de combustíveis, o que mais cresceu em porcentagem. A indústria de alta tecnologia mineira, como um todo, exportou 83,5% mais do que em 2011.


Para estimular este crescimento, o Governo de Minas tem sólidos programas de atração e diversificação da economia, bem como de apoio à indústria instalada no estado. Este ano, o estado dispõe de R$ 600 milhões em fundos estaduais para aplicar em estímulos à atividade industrial.


A qualificação dos trabalhadores para atuar na indústria também é um dos focos de estímulo à atividade. Por meio de recursos da Fapemig, o Governo do Estado publica, frequentemente, editais para o desenvolvimento de bases de produção e para a formação e especialização de mão de obra de nível superior.


O Programa de Educação Profissional (PEP), da Secretaria de Estado de Educação, é outro exemplo de iniciativa no sentido de preparar a população para atuar nos diversos setores econômicos. Desde sua criação, em 2007, o programa já ofertou 89 cursos em 132 municípios, qualificando mais de 140 mil alunos.


Outro aspecto que contribui para a atividade industrial no estado são as políticas de simplificação e desburocratização do governo. Um exemplo é o Projeto Descomplicar, criado com o objetivo de simplificar e agilizar as relações do estado com as empresas e os cidadãos.

 



Fonte: Ascom Governo de Minas Gerais
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar