acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

Indústria alemã defende livre comércio com Brasil

19/09/2011 | 12h29
O presidente da Federação das Indústrias da Alemanha, Hans-Peter Keitel, defendeu o livre comércio de seu país com o Brasil e alertou que países que não abriram seus mercados acabaram desenvolvendo problemas financeiros, como a Itália e a Espanha. "Se olharmos mais de perto, veremos que o grande problema aparece em grandes economias, como Itália e Espanha, onde não houve abertura de mercados", avisou Keitel, referindo-se ao momento de crise no continente europeu.

"Pensem sobre as consequências do congelamento dos mercados internos. Pensem nisso quando tomarem uma decisão sobre os impostos de importações para os alemães", disse, durante o Encontro Econômico Brasil-Alemanha, no Rio.

Keitel defendeu que a relação comercial entre Brasil e Alemanha ultrapasse as barreiras da cooperação econômica, mas que seja também uma cooperação científica. "Uma parceria de alta tecnologia com a Alemanha promete muito para ambos os lados. Por isso, defendemos um mercado aberto, de livre comércio, em relação também a propriedade intelectual, porque alta tecnologia também se torna moeda para aquilo que gostaríamos de comprar, as matérias-primas", contou.

Segundo o presidente da federação alemã, não existe um problema com o euro, mas sim do alto endividamento de governos. "Todos olham para a Grécia, pensam por quê países podem se meter em dificuldades. A Grécia tem dificuldade de fortalecer sua economia. É um país com pouca transparência, onde os governos não se colocam na ponta do movimento renovador."


Fonte: Agência Estado
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar