acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Acidente

Incêndio em plataforma da Pemex deixa quatro mortos

02/04/2015 | 11h32
Incêndio em plataforma da Pemex deixa quatro mortos
Diario Presente Diario Presente

Uma plataforma petrolífera da estatal Pemex (Petroleos Mexicanos) que operava no Golfo do México pegou fogo ontem (2) deixando quatro pessoas mortas e dezesseis feridos. A estatal afirmou em comunicado que o incêndio aconteceu na área de desidratação e bombeamento da plataforma Abkatun Permanente na Sonda de Campeche, uma das regiões de extração mais importantes da petroleira. Ainda não foram descobertas a causa do acidente.

Em 2012, o presidente Enrique Peña Nieto conseguiu aprovação do congresso de seu país para um projeto de lei de reforma energética que abre o setor petrolífero mexicano para empresas e investidores internacionais, flexibilizando o monopólio mais antigo da história do petróleo. O país foi um dos principais produtores do mundo e a sua produção começou a decair pela própria incapacidade de investimentos.

Entretanto, a Pemex registrou um prejuízo líquido de US$ 7,75 bilhões em 2014. Em janeiro de 2015, a Reuters informou que 8% dos contratos assinados pela empresa em 2013 tinham elementos fraudulentos e quetionáveis. A estatal, que gera um terço das receitas fiscais do México, também foi golpeada pela queda do preço do barril de petróleo e do peso frente ao dólar.

Acidente reacende debate sobre segurança operacional

É importante lembrar que uma refinaria do Pemex localizada em Reynosa, no Estado de Tamaulipas (norte), pegou fogo em 2012 deixando 26 mortos. Portanto, faz-se necessário ressaltar a questão da segurança operacional, ponto crucial para as companhias de petróleo no mundo inteiro e que foi tema de pesquisa da multinacional de corretagem de seguros e gerenciamento de risco Marsh, divulgado no final do ano passado.

Em sua última edição, a revista TN Petróleo avaliou o estudo e constatou que, dentre o total de acumulado de perdas patrimoniais na indústria do petróleo nos últimos 40 anos (US$ 34 bilhões), os maiores acidentes ocorreram nas atividades de upstream (34%). Ao todo, o setor teve uma perda patrimonial estimada em US$ 130 mihões. Em seguida, o setor de refino ocupa a parcela significativa de 29% dos acidentes ocorridos na indústria. O estudo mostra que os projetos de expansão e manejo de plantas de refino é uma questão que as autoridades reguladoras estão mostrando cada vez mais preocupação, exigindo garantias de controle de risco.



Fonte: Redação TN Petróleo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar