acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Iberdrola fala em união da Elektro e CPFL

03/03/2011 | 12h09
A empresa de energia espanhola Iberdrola afirmou ontem, em Madri, que possui várias opções em aberto para a distribuidora brasileira de energia Elektro, adquirida em meados de janeiro, que incluem uma integração com a CPFL Energia a uma divisão dos ativos da Neoenergia.
 

O diretor-geral de negócios da Iberdrola, José Luis San Pedro, disse, durante encontro com investidores, que o grupo foi abordado pela Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil e acionista relevante da Neoenergia junto com a companhia espanhola, para integrar a empresa à Elektro e à CPFL, dando origem a um gigante em energia no Brasil. A afirmação do executivo vai de encontro ao que afirmou a Previ na semana passada, quando o fundo negou veemente que estaria discutindo o assunto.
 

O executivo espanhol afirmou não ter tomado nenhuma decisão quanto ao assunto, acrescentando que a Iberdrola pode unir a Elektro à Neoenergia - da qual detém 39% - ou até comprar a participação de seus parceiros na brasileira.
 

Caso não chegue a um acordo, o grupo espanhol - que segundo o executivo tem intenção de ser controlador nos negócios brasileiros para consolidá-los - pode separar os ativos da Neoenergia, dividindo-os entre seus sócios.
 

A Iberdrola também informou que mantém a meta de crescimento anual de entre 5% e 9% para lucro líquido recorrente e Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no período de 2010 a 2012.
 

Apesar disso, a companhia reduziu em € 200 milhões a previsão de investimentos para o período, totalizando € 15,8 bilhões. A alteração do plano é decorrente da redução de € 2,6 bilhões em investimento orgânico, compensada pelos € 2,3 bilhões desembolsados para compra da Elektro e capex (investimento em ativos fixos) de € 100 milhões da brasileira.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar