acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Bacia do Solimões

HRT devolve à ANP os blocos SOL-T-219 e SOL-T-220

05/08/2013 | 10h30
HRT devolve à ANP os blocos SOL-T-219 e SOL-T-220
Divulgação HRT Divulgação HRT

 

A HRT Participações em Petróleo S.A. não solicitará à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a renovação do contrato de concessão para o segundo período da fase exploratória dos Blocos SOL-T-219 e SOL-T-220, devolvendo as áreas para a agência reguladora. Segundo Fato Relevante divulgado pela empresa, o primeiro período expirou em 3 de março de 2013 e foi sucessivamente prorrogado pela ANP até 3 de agosto de 2013.
A decisão de não se dar continuidade ao processo exploratório nos blocos está baseada na dificuldade para obtenção das licenças ambientais e operacionais, decorrente da existência de duas Florestas Nacionais, posicionadas em ambas as áreas, as respectivas Zonas de Amortecimento e as planícies de inundação adjacentes, que impediriam o desenvolvimento de atividades geológicas e geofísicas terrestres e de perfuração.
A HRT realizou as atividades comprometidas no Programa Exploratório Mínimo (PEM) requeridas pela ANP, cuja execução não dependia do processo de licenciamento ambiental (aerogeofísica, geoquímica no leito dos rios e "post mortem" em dados de poço pré-existente no SOL-T-220). Realizou, ainda, levantamento de dados sísmicos terrestres no extremo NW do Bloco SOL-T-219, onde foi possível a obtenção de licenciamento ambiental parcial, o que não ocorreu na área do Bloco SOL-T-220.
Com a devolução, a HRT passa a ser a operadora de 19 blocos na Bacia do Solimões e a atual atividade exploratória é parte da parceria entre a HRT e a TNK-Brasil.

A HRT Participações em Petróleo S.A. não solicitará à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a renovação do contrato de concessão para o segundo período da fase exploratória dos Blocos SOL-T-219 e SOL-T-220, devolvendo as áreas para a agência reguladora. Segundo Fato Relevante divulgado pela empresa, o primeiro período expirou em 3 de março de 2013 e foi sucessivamente prorrogado pela ANP até 3 de agosto de 2013.


A decisão de não se dar continuidade ao processo exploratório nos blocos está baseada na dificuldade para obtenção das licenças ambientais e operacionais, decorrente da existência de duas Florestas Nacionais, posicionadas em ambas as áreas, as respectivas Zonas de Amortecimento e as planícies de inundação adjacentes, que impediriam o desenvolvimento de atividades geológicas e geofísicas terrestres e de perfuração.


A HRT realizou as atividades comprometidas no Programa Exploratório Mínimo (PEM) requeridas pela ANP, cuja execução não dependia do processo de licenciamento ambiental (aerogeofísica, geoquímica no leito dos rios e "post mortem" em dados de poço pré-existente no SOL-T-220). Realizou, ainda, levantamento de dados sísmicos terrestres no extremo NW do Bloco SOL-T-219, onde foi possível a obtenção de licenciamento ambiental parcial, o que não ocorreu na área do Bloco SOL-T-220.


Com a devolução, a HRT passa a ser a operadora de 19 blocos na Bacia do Solimões e a atual atividade exploratória é parte da parceria entre a HRT e a TNK-Brasil.



Fonte: Ascom HRT
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar