Petrobras- 213x420
acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Lucro

HRT adiciona a seu portfólio 815 milhões de boe

02/08/2011 | 11h09
A HRT Participações em Petroleo S.A. (BM&FBOVESPA: HRTP3, TSX-V: HRP), anuncia seu novo relatorio, elaborado pela consultoria DeGolyer & MacNaughton (D&M), que estima os novos volumes de recursos certificados nos blocos 2813-A, 2814-B e 2914-A na Bacia de Orange, Namibia. O documento indica recursos potencias totais líquidos para a companhia de 815 milhões de barris de óleo equivalente (boe), sendo 649 milhões de boe de óleo e 166 milhões de boe de gás. Com isso, a HRT passa a ter um volume de recursos potenciais líquidos de 7,9 bilhões de boe.

Ao abrir o seu capital no final de 2010, a HRT possuia 2,1 bilhões de boe. Com a aquisicao da UNX Energy Corp. (UNX) em 2011, a companhia adicionou mais 4,7 bilhões de boe. Com a aquisição de participação da Vienna Investments (Proprietary) Limited (Vienna) mais 295 milhões de boe foram incluidos, e se somados aos 815 milhões de boe do novo relatorio, totalizam o volume de recursos potenciais líquidos de 7,9 bilhões de boe para a HRT.

Os novos recursos são provenientes dos estudos de mapeamento de prospectos a partir dos 2,1 mil km² de sísmica 2D e 1,5 mil km² de sísmica 3D adquiridas em 2010, que cobriam os blocos 2813-A, 2814-B e 2914-A na Bacia de Orange.

A HRT planeja iniciar em 2012 a campanha de perfuração de 4 poços na Namíbia. Visando auxiliar na escolha das localizações, a companhia contratou aquisições sísmicas 3D que podem ser resumidas como segue:

Bacia de Walvis - blocos 2112-B e 2212-A: 5.278 km²

Conduzida pelo navio Naila, da Polarcus, e concluída em 19 de julho. Com isso, a HRT antecipou o compromisso exploratório de 200 km² de sísmica 3D a uma data anterior a junho de 2013.

Bacia de Orange - blocos 2813-A e 2814-B (1.232 km²) e blocos 2713-A e 2713-B (1.428 km²)

34% concluídas, conduzidas pelo navio Samur, da Polarcus. Esta operação foi interrompida devido às condições meteorológicas, com previsão de ser retomada em novembro de 2011.

Bacia de Orange - bloco 2815: 1.137 km2

Conduzida pelo navio Nordic Explorer, da PGS, e concluída em 15 de maio de 2011.

“Esta nova certificação feita pela D&M nos dá mais confiança no grande potencial de óleo e gás em nossos blocos da Namíbia, sem mencionar o trabalho de mapeamento para as futuras certificações que está sendo realizado pela HRT America com os levantamentos sísmicos 3D adquiridos recentemente” destacou Marcio Rocha Mello, Diretor Presidente e de Relações com Investidores da HRT.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar