acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Etanol

Hidratado bate recorde de vendas em julho; moagem recua 7%

09/08/2018 | 11h46
Hidratado bate recorde de vendas em julho; moagem recua 7%
Divulgação Divulgação

Rio Oil & Gas 2018

Em análise divulgada hoje (9), a Unica - União da Indústria de Cana-de-açúcar informou que o volume de etanol comercializado pelas usinas produtoras do Centro-Sul subiu 35% na segunda quinzena de julho, quando comparado ao mesmo período de 2017. Nos últimos quinze dias de julho foram comercializados 1,50 bilhão de litros, sendo destes 930,40 milhões de litros no mercado interno.

A Unica atribui esse recorde à competitividade do produto frente à gasolina na maior parte do mercado brasileiro, que é a melhor nos últimos 8 anos. Pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), com dados compilados pela entidade, indica uma paridade média de 62% entre os combustíveis no Brasil, muito aquém do rendimento técnico médio de 73%, ao longo da última semana (de 29 de julho a 4 de agosto). Na capital paulista e em cidades do interior de São Paulo, a relação está abaixo dos 60%.

Para o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, "nesse momento, abastecer com o etanol gera uma importante economia ao consumidor, além dos inúmeros benefícios ambientais e de saúde pública proporcionados pelo consumo de uma fonte de energia limpa e renovável." Importante destacar também a contribuição do etanol anidro, aquele misturado à gasolina, para atenuar o preço do combustível fóssil nas bombas, concluiu.

No total de julho, as vendas das unidades produtoras alcançaram 2,70 bilhões de litros, sendo 253,04 milhões direcionados à exportação e 2,45 bilhões ao mercado interno. No mercado interno, o volume comercializado de anidro atingiu 748,63 milhões de litros e de hidratado 1,70 bilhão, com crescimento de 51,9% em relação a julho de 2017.

Para o executivo da Unica, "as vendas de julho surpreenderam especialmente por ser um período de férias no Brasil". A expectativa é de que o volume comercializado atinja patamares superiores no mês de agosto, acrescenta Padua.

Moagem recua 7% no período

Ainda de acordo com a entidade, a quantidade de cana-de-açúcar processada no Centro-Sul totalizou 47,34 milhões de toneladas nos 15 dias finais de julho, 6,99% inferior às 50,91 milhões de toneladas apuradas no mesmo período do último ano.

A produção de açúcar, no período, somou 2,61 milhões de toneladas, queda de 23,65% (equivalente a mais de 810 mil toneladas) sobre o resultado em igual período da safra 2017/2018. Em contrapartida, a fabricação de etanol aumentou 24,66%, alcançando 2,60 bilhões de litros.

Deste volume, 864,26 milhões de litros correspondem ao etanol anidro e 1,74 bilhão ao etanol hidratado. Este último representa um crescimento de 51,37% comparado aos 1,15 bilhão de litros registrados na segunda quinzena de julho de 2017.

No acumulado desde o início desta safra até 1º de agosto, a moagem totalizou 314,80 milhões de toneladas, com 14,75 milhões de toneladas de açúcar fabricadas - frente a 17,63 milhões no mesmo período de 2017. No caso do etanol, são 16,05 bilhões de litros produzidos, dos quais 4,94 bilhões anidro e 11,11 bilhões de hidratado.

ATR em alta

A concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) alcançou 150,64kg por tonelada de cana-de-açúcar nos 15 dias finais de julho, contra 140,21 kg na mesma quinzena do último ano - alta de 7,44%. No acumulado até 1º de agosto, esse indicador atingiu 134,67 kg por tonelada, aumento de 5,24% em relação à safra 2017/2018.

 



Fonte: Redação/Assessoria UDOP
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar