acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Premium II

GS Energy diz que negociação avança

11/07/2013 | 12h23

 

A direção da GS Energy, empresa sul-coreana interessada em se tornar sócia na refinaria Premium II, no Ceará, teria afirmado que as negociações com a Petrobras para a possível parceria "estão indo muito bem". A informação foi dada pelo presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado (Cede), Alexandre Pereira, que se encontrou ontem (10) com os empresários na Coreia do Sul.
No mês passado, a Petrobras enviou comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informando que havia celebrado uma carta de intenções com a sul-coreana com o objetivo de desenvolver um estudo conjunto para o projeto da refinaria Premium II, no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp). No comunicado, a empresa ponderou que "a referida carta de intenções não é vinculante e não gera obrigação entre as partes de firmar futuros acordos comerciais ou operacionais após o resultado dos estudos de viabilidade". No momento, o estudo está em elaboração. Pereira diz que a empresa classificou as negociações com a estatal de "avançadas", e que os investidores estariam otimistas.
Viabilidade
A decisão pela confirmação da parceria com a sul-coreana deverá influenciar positivamente no posicionamento da Petrobras em relação ao cronograma da refinaria. A presidente da estatal, Graças Foster, já afirmou que não iniciará as obras do empreendimento enquanto o seu projeto não mostrar viabilidade financeira. Ela também declarou que a empresa deverá posicionar-se ainda neste mês se a Premium II é considerada, no momento, viável ou não. No mês passado, entretanto, Foster declarou que "muito provavelmente" a Premium II, assim como a Premium I, no Maranhão, sairá da fase de avaliação para a etapa de implantação ainda em julho.
O contato com a GS foi iniciado pelo governador Cid Gomes, que começou a prospecção de empresas que poderiam ser sócias na refinaria após a presidente da Petrobras dar-lhe aval para que empreendesse essa busca. As negociações, entretanto, não envolvem o Governo do Estado, ficando somente entre a estatal e a investidora interessada.
A visita de representantes do governo estadual tinha o objetivo de estreitar a relação com a empresa. Com a volta antecipada do governador, em virtude do chamado da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, o presidente do Cede chegou a acreditar que a reunião seria adiada. Entretanto, ele foi recebido pelo vice chairman e CEO da GS, W. B. Rha, que ainda o convidou para conhecer o polo petroquímico da empresa, que é o maior da Coreia do Sul.
Agenda
Na última terça-feira (9), o presidente do Cede encontrou-se com os empresários das sul-coreanas Posco e Dongkuk, sócias da Companhia da Siderúrgica do Pecém (CSP). Ambas as empresas estão interessadas em instalar uma laminadora no Ceará, em parceria com a Aço Cearense, com capacidade de produção de um milhão de toneladas/ano de aço laminado - e não apenas uma tonelada, como publicado, por engano, na edição de ontem.
Hoje (11), Alexandre Pereira visita as instalações na Hyundai, que deve construir uma fábrica de elevadores no Cipp.

A direção da GS Energy, empresa sul-coreana interessada em se tornar sócia na refinaria Premium II, no Ceará, teria afirmado que as negociações com a Petrobras para a possível parceria "estão indo muito bem". A informação foi dada pelo presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado (Cede), Alexandre Pereira, que se encontrou ontem (10) com os empresários na Coreia do Sul.


No mês passado, a Petrobras enviou comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informando que havia celebrado uma carta de intenções com a sul-coreana com o objetivo de desenvolver um estudo conjunto para o projeto da refinaria Premium II, no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp). No comunicado, a empresa ponderou que "a referida carta de intenções não é vinculante e não gera obrigação entre as partes de firmar futuros acordos comerciais ou operacionais após o resultado dos estudos de viabilidade". No momento, o estudo está em elaboração. Pereira diz que a empresa classificou as negociações com a estatal de "avançadas", e que os investidores estariam otimistas.



Viabilidade


A decisão pela confirmação da parceria com a sul-coreana deverá influenciar positivamente no posicionamento da Petrobras em relação ao cronograma da refinaria. A presidente da estatal, Graças Foster, já afirmou que não iniciará as obras do empreendimento enquanto o seu projeto não mostrar viabilidade financeira. Ela também declarou que a empresa deverá posicionar-se ainda neste mês se a Premium II é considerada, no momento, viável ou não. No mês passado, entretanto, Foster declarou que "muito provavelmente" a Premium II, assim como a Premium I, no Maranhão, sairá da fase de avaliação para a etapa de implantação ainda em julho.


O contato com a GS foi iniciado pelo governador Cid Gomes, que começou a prospecção de empresas que poderiam ser sócias na refinaria após a presidente da Petrobras dar-lhe aval para que empreendesse essa busca. As negociações, entretanto, não envolvem o Governo do Estado, ficando somente entre a estatal e a investidora interessada.


A visita de representantes do governo estadual tinha o objetivo de estreitar a relação com a empresa. Com a volta antecipada do governador, em virtude do chamado da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, o presidente do Cede chegou a acreditar que a reunião seria adiada. Entretanto, ele foi recebido pelo vice chairman e CEO da GS, W. B. Rha, que ainda o convidou para conhecer o polo petroquímico da empresa, que é o maior da Coreia do Sul.



Agenda


Na última terça-feira (9), o presidente do Cede encontrou-se com os empresários das sul-coreanas Posco e Dongkuk, sócias da Companhia da Siderúrgica do Pecém (CSP). Ambas as empresas estão interessadas em instalar uma laminadora no Ceará, em parceria com a Aço Cearense, com capacidade de produção de um milhão de toneladas/ano de aço laminado - e não apenas uma tonelada, como publicado, por engano, na edição de ontem.


Hoje (11), Alexandre Pereira visita as instalações na Hyundai, que deve construir uma fábrica de elevadores no Cipp.

 



Fonte: Diário do Nordeste
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar