acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Grupo São Martinho dobra o lucro no trimestre

15/02/2011 | 10h18
O terceiro trimestre da safra 2010/11 para o grupo São Martinho não poderia ter sido mais positivo. A empresa encerrou o período com lucro líquido de R$ 53,8 milhões, mais de duas vezes superior ao registrado no mesmo trimestre do ano anterior. No acumulado dos nove primeiros meses da safra, o lucro da empresa já alcança R$ 123,3 milhões, desempenho 70,7% superior.

 
Em linha com o forte crescimento do ganho líquido, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) do São Martinho atingiu R$ 165,8 milhões no terceiro trimestre e R$ 411,4 milhões em nove meses, com crescimento de 35,1% e 69%, respectivamente. Já o faturamento fechou o último trimestre em R$ 417,6 milhões (18,2%), elevando para R$ 1,07 bilhão a receita da empresa em nove meses da safra 2010/11.

 
"O aumento em nosso faturamento tem um forte componente de preços, tanto do açúcar quanto do etanol. No caso do combustível, conseguimos fechar nossas vendas em um período em que as cotações estavam em alta", disse ao Valor Fábio Venturelli, presidente do grupo São Martinho, que atribui parte do crescimento na receita à gestão do mix de produtos.

 
De acordo com Venturelli, uma parte importante do aumento da margem da empresa pode ser atribuída à estratégia de elevar o processamento da cana-de-açúcar produzida pela própria empresa, reduzindo a participação de terceiros. Nos nove meses da safra, a companhia processou 13,06 milhões de toneladas, volume 1,1% superior aos primeiros nove meses do ano anterior. Desse total, a parcela de cana própria aumentou 12,2%, para 8,5 milhões de toneladas, enquanto a de terceiros recuou 14,7%, para 4,5 milhões de toneladas.

Diante dos elevados preços do açúcar no mercado internacional, a decisão da empresa de destinar a maior parte de seu processamento de cana ao adoçante também teve um peso importante. O grupo elevou em 24,4% sua produção de açúcar, que nos nove primeiros meses da safra atingiu 873 mil toneladas. Em compensação, ao destinar uma parcela maior de cana à produção de açúcar, a oferta de etanol - anidro e hidratado - recuou no total 4,7%, para 565 mil metros cúbico.

O etanol hidratado - utilizado direto nos veículos - foi o que mais perdeu espaço. A produção passou de 367 mil metros cúbicos para 307 mil metros cúbicos, uma redução de 16,4%. Já no caso ao álcool anidro - misturado à gasolina -, a produção aumentou 14,1% no acumulado dos nove meses da safra, para 258 mil metros cúbicos. A oferta maior do álcool anidro permitirá ao São Martinho entrar no quarto trimestre de seu ano-safra com um estoque 15% superior ao registrado no mesmo período do ano passado.

A conjuntura de fatores positivos, aliado ao aporte da Petrobras Biocombustíveis na Nova Fronteira Bioenergia melhorou os níveis de endividamento do São Martinho. Os R$ 170 milhões que serão aportados até o final deste ano reduzirão o endividamento líquido da empresa para R$ 470 milhões. Em dezembro de 2010 o endividamento da empresa estava em R$ 578,9 milhões.


"A situação de endividamento geral do setor ainda é alta, mas estamos conseguindo melhorar consistentemente nossas margens", afirmou Venturelli.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar