acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Offshore

Greve já envolve 1.800 metalúrgicos do Rio

29/09/2005 | 00h00

 Mil e oitocentos metalúrgicos dos estaleiros Usiminas e Iesa, e de empreiteiras subcontratadas, que realizam as obras de construção dos módulos das plataformas petrolíferas P-51, P-52 e P-54 no parque industrial do antigo Caneco, no Caju, estão em greve por tempo indeterminado. Hoje, os trabalhadores fizeram manifestação fechando uma das pistas da Avenida Brasil.
Os metalúrgicos reivindicam 16% de reajuste, e outros benefícios como adicional de insalubridade, cesta básica e plano de saúde. Os empregados do Usiminas querem equiparação salarial, já incorporada pelo Iesa, dos pisos em vigor nos estaleiros de Niterói e Angra dos Reis, de R$ 1.070 para profissional e R$ 715 para ajudante. De acordo com o coordenador do Fórum Intersindical dos Metalúrgicos do Setor Naval, Luiz Chaves, as empresas não ofereceram contraproposta.
Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio, Maurício Ramos, a greve nos estaleiros faz parte da campanha salarial dos 60 mil metalúrgicos do Rio e da Baixada Fluminense, e poderá ser ampliada após a assembléia geral que será realizada nesta quinta-feira às 19h, na sede do sindicato, em São Cristóvão (Rua Ana Néri, 152).



Fonte: Jornal do Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar