acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Bolsa

Greenspan anima pregões, mas petróleo impõe quedas

03/03/2005 | 00h00

As bolsas dos Estados Unidos fecharam em queda nesta quarta-feira (02/03), afetadas pela forte alta dos preços do petróleo, o que elevou as preocupações sobre elevação de custos para empresas e consumidores. Isso levou os investidores a embolsarem lucros, após o Dow Jones, principal indicador da Bolsa de Nova York, atingir o nível mais alto em três anos e meio.
O discurso do chairman do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Alan Greenspan, em um comitê da Câmara, que deu aos investidores mais convicção de que não haverá reajustes agressivos de juros. Isso trouxe alento às ações, mas o petróleo cotado a US$ 53,05 em Nova York, o preço mais alto em quatro meses, reverteu os ganhos.
O Dow Jones terminou em baixa de 0,17%, a 10.812 pontos. O Standard & Poor`s 500 fechou quase estável, com imperceptível oscilação negativa de 0,03%, a 1.210 pontos. O Nasdaq Composto, do setor de tecnologia, caiu 0,18%, a 2.067 pontos.
Entre os destaques do dia, os papéis da farmacêutica Chiron saltaram 6,4% depois de reguladores britânicos darem sinal verde para a volta ao funcionamento da planta de Liverpool, que produz vacinas contra a gripe.
As maiores bolsas da Europa fecharam com resultados mistos na quarta-feira: o pregão de Londres terminou em queda, enquanto Frankfurt e Paris subiram. As sessões foram influenciadas pelo peso da fabricantes de bebidas InBev, de mineradoras e empresas de utilidade pública.
As ações da InBev caíram 5,2%, após a maior cervejaria do mundo em volume dizer a analistas que espera ganhos menores por ação este ano.
Papéis de mineradoras também figuraram entre as perdas do dia, já que os preços dos metais estenderam suas perdas de terça-feira. A Anglo-American caiu 0,7%, a Xstrata desceu 1,6%. Rio Tinto e BHP Billiton registraram desvalorizações de 1,2% e 2,4%, respectivamente.
O setor petrolífero foi um dos únicos a ganhar na quarta-feira, devido aos altos preços do barril, negociado acima dos US$ 52 em Londres. A Royal Dutch/Shell, Total, e BP registraram ganhos modestos.
Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 recuou 0,15%, para 4.992 pontos. No pregão de Frankfurt, o DAX fechou com oscilação positiva de 0,22%, aos 4.393 pontos. O CAC-40, de Paris, subiu 0,19%, a 4.062 pontos.



Fonte: Valor Econômico/Ag.
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar