acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Refinaria

Graça Foster e Sérgio Cabral participam de reunião sobre obras do Comperj

23/07/2012 | 09h52
Graça Foster e Sérgio Cabral participam de reunião sobre obras do Comperj
Keystone Keystone

 

A presidente da Petrobras, Graça Foster, foi recebida na sexta-feira (20) pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, no Palácio das Laranjeiras, para reunião que durou mais de duas horas. No encontro, a executiva ressaltou a importância estratégica do Comperj, e comprometeu-se a acompanhar pessoalmente as obras da refinaria.
“De nossa parte, tudo será feito para que o Comperj, na sua totalidade, seja mais um empreendimento bem-sucedido”, afirmou.
Na reunião, ficou acertado que estatal e governo do Rio atuarão no sentido de solucionar questões ainda pendentes do projeto - que aguardam providências da Petrobras e decisões do estado - como o licenciamento ambiental do emissário e dos oleodutos de suprimento de petróleo e escoamento de derivados do complexo, bem como da travessia do rio Guaxindiba.
Graça Foster e o governador Sérgio Cabral manifestaram especial preocupação com a manutenção do ritmo das obras do Comperj. "Todo nosso empenho será no sentido de atender os cronogramas já aprovados", afirmou a presidente da Petrobras.
O Comperj é hoje um dos projetos mais importantes da companhia. Do total de US$ 236,5 bilhões em investimentos previstos pela Petrobras para o período 2012-2016, US$ 65,5 bilhões são destinados ao segmento de refino, transporte e comercialização de derivados. A conclusão do primeiro trem de refino do Comperj, atualmente em construção, está prevista para abril de 2015.
O empreendimento, em sua primeira etapa, terá capacidade de processar 165 mil barris de petróleo por dia, abastecendo o mercado com óleo diesel 10 ppm (42,9% da produção), nafta petroquímica (22%), querosene de aviação (16%), coque (10%), GLP (5,5%) e óleo combustível (4,1%).
O segundo trem de refino do Comperj está em fase de avaliação e será idêntico às refinarias Premium I (MA) e Premium II (CE), com capacidade de processar 300 mil barris de petróleo por dia, e sua operação deve ser iniciada em janeiro de 2018. Além dos trens de refino, o projeto ainda contará com unidades de produção de lubrificantes e aromáticos, bem como unidades de processamento do gás natural produzido no pré-sal, que também será utilizado como matéria-prima para as plantas petroquímicas.
“Todas as refinarias, em avaliação ou em construção, são igualmente importantes para a Petrobras”, reafirmou a presidente da empresa, ao final do encontro. “E todas estão no Plano de Negócios 2012-2016. Hoje nós necessitamos importar combustíveis, e a melhor saída é colocar de pé as novas refinarias. Estamos trabalhando dedicadamente com vistas à adequação das mesmas às métricas internacionais de preço, prazo e tecnologias padronizadas”, disse.
Na semana passada, Graça Foster realizou reuniões com os governadores do Maranhão, Roseana Sarney, e do Ceará, Cid Gomes, quando confirmou tecnicamente a importância dos projetos da Premium I e Premium II. As duas refinarias serão responsáveis pelo processamento de 900 mil barris de petróleo por dia - 300 mil no Ceará e 600 mil no Maranhão. A demanda atual por derivados no Brasil é de aproximadamente 2,1 milhões de barris de petróleo por dia e estima-se que alcance 3,4 milhões em 2020.

A presidente da Petrobras, Graça Foster, foi recebida na sexta-feira (20) pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, no Palácio das Laranjeiras, para reunião que durou mais de duas horas. No encontro, a executiva ressaltou a importância estratégica do Comperj, e comprometeu-se a acompanhar pessoalmente as obras da refinaria.


“De nossa parte, tudo será feito para que o Comperj, na sua totalidade, seja mais um empreendimento bem-sucedido”, afirmou.


Na reunião, ficou acertado que estatal e governo do Rio atuarão no sentido de solucionar questões ainda pendentes do projeto - que aguardam providências da Petrobras e decisões do estado - como o licenciamento ambiental do emissário e dos oleodutos de suprimento de petróleo e escoamento de derivados do complexo, bem como da travessia do rio Guaxindiba.


Graça Foster e o governador Sérgio Cabral manifestaram especial preocupação com a manutenção do ritmo das obras do Comperj. "Todo nosso empenho será no sentido de atender os cronogramas já aprovados", afirmou a presidente da Petrobras.


O Comperj é hoje um dos projetos mais importantes da companhia. Do total de US$ 236,5 bilhões em investimentos previstos pela Petrobras para o período 2012-2016, US$ 65,5 bilhões são destinados ao segmento de refino, transporte e comercialização de derivados. A conclusão do primeiro trem de refino do Comperj, atualmente em construção, está prevista para abril de 2015.


O empreendimento, em sua primeira etapa, terá capacidade de processar 165 mil barris de petróleo por dia, abastecendo o mercado com óleo diesel 10 ppm (42,9% da produção), nafta petroquímica (22%), querosene de aviação (16%), coque (10%), GLP (5,5%) e óleo combustível (4,1%).


O segundo trem de refino do Comperj está em fase de avaliação e será idêntico às refinarias Premium I (MA) e Premium II (CE), com capacidade de processar 300 mil barris de petróleo por dia, e sua operação deve ser iniciada em janeiro de 2018. Além dos trens de refino, o projeto ainda contará com unidades de produção de lubrificantes e aromáticos, bem como unidades de processamento do gás natural produzido no pré-sal, que também será utilizado como matéria-prima para as plantas petroquímicas.


“Todas as refinarias, em avaliação ou em construção, são igualmente importantes para a Petrobras”, reafirmou a presidente da empresa, ao final do encontro. “E todas estão no Plano de Negócios 2012-2016. Hoje nós necessitamos importar combustíveis, e a melhor saída é colocar de pé as novas refinarias. Estamos trabalhando dedicadamente com vistas à adequação das mesmas às métricas internacionais de preço, prazo e tecnologias padronizadas”, disse.


Na semana passada, Graça Foster realizou reuniões com os governadores do Maranhão, Roseana Sarney, e do Ceará, Cid Gomes, quando confirmou tecnicamente a importância dos projetos da Premium I e Premium II. As duas refinarias serão responsáveis pelo processamento de 900 mil barris de petróleo por dia - 300 mil no Ceará e 600 mil no Maranhão. A demanda atual por derivados no Brasil é de aproximadamente 2,1 milhões de barris de petróleo por dia e estima-se que alcance 3,4 milhões em 2020.



Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar