acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Meio ambiente

Governo tenta desatar nó ambiental que atrasa obras

30/03/2004 | 00h00

As ministras Dilma Rousseff (Minas e Energia) e Marina Silva (Meio Ambiente) assinam hoje termo de cooperação para dar agilidade a processos ambientais que emperram projetos na área de infra-estrutura. Segundo levantamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), quase metade da produção de energia prevista para entrar em operação até 2010 está comprometida por problemas na área ambiental.
Dos 13 mil megawatts programados para entrar no sistema nos próximos seis anos, 6 mil megawatts têm algum tipo de pendência. Das 48 hidrelétricas fiscalizadas pela Aneel, 31estão com obras atrasadas. Destas, 7 têm problemas de licenciamento ambiental.
A Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de Base (Abdib), que tem liderado as críticas à morosidade na liberação das licenças, reúne-se dia 5 com representantes do governo na área do meio ambiente. "Vamos ouvir o plano de ação do Ibama e apresentar sugestões para a solução dos problemas", disse o vice-presidente-executivo da entidade, Ralph Lima Terra.
Em discurso em São Caetano, o presidente Lula admitiu: "Temos problemas, ou porque falta licenciamento, ou porque tem embargo da obra, ou porque há divergência entre as várias instâncias do próprio governo que deveriam desobstruir isso". Lula tem tocado nesse esse assunto constantemente nos últimos dias e algumas fontes chegaram a prever a demissão do presidente do Ibama, Marcos Barros. Amigo de Lula, ele pode deixar o cargo no dia 1º para se desincompatibilizar e concorrer à prefeitura de Manaus.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar