acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Biomassa

Governo quer que 13 usinas de Biomassa sejam reincluídas em leilão de energia

05/05/2016 | 11h46

Mato Grosso do Sul teve 13 projetos de usinas termelétricas de Biomassa, inscritos no Leilão da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) realizado no dia 29 de abril. De todos, apenas um venceu e agora, o governo do estado pede que o Ministério de Minas e Energia inclua as usinas no próximo certame.

O pedido feito pelo secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck também foi feito à Empresa de Pesquisa Energética e considera, um leilão de reserva a ser realizado.

"Nosso intuito é garantir que as usinas de Biomassa previstas para operar em Mato Grosso do Sul participem desse novo certame e possam viabilizar seus contratos de comercialização de energia de forma competitiva", explica o secretário Jaime Verruck.

Apenas o projeto apresentado pela Eldorado Brasil de R$ 300 milhões para uma usina em Aparecida do Taboado, aceitou a proposta do valor oferecido e venceu o leilão. O contrato de 25 anos vai pagar R$ 243,20 o MWh.

"Das 40 termelétricas de biomassa habilitadas, 13 eram de nosso Estado, mas somente uma fechou contratação. O valor de referência do megawatt hora da biomassa ficou abaixo do valor do carvão e acabou não sendo competitivo para a maioria dos empreendimentos", disse o secretário.

Segundo o secretário, a sinalização dada pelos demais empreendimentos é de que as termelétricas de biomassa previstas em Mato Grosso do Sul devem se mobilizar para o oferecimento de energia elétrica no mercado livre.

"Já fomos informados que as empresas que estavam interessadas não desistiram totalmente. Qualquer retomada da atividade econômica pode gerar demanda e até mesmo um novo leilão no próximo ano. O que poderá ocorrer é um redimensionamento dos projetos para o atendimento do mercado livre, garantindo viabilidade econômica e competitividade", finalizou o secretário.



Fonte: Campo Grande News 04/05/2016
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar