acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energias Alternativas

Governo do Acre começa a discutir projeto para produção de biodiesel no Estado

09/02/2011 | 10h06
Aconteceu na manhã desta terça (8), na Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), um encontro entre representantes do governo do Acre, Ministério da Agricultura e do Programa Nacional de Biodiesel. A proposta é expandir o programa para o Acre, como parte do plano de trazer ainda mais a política de produção do biodiesel para a Região Norte através da cultura do dendê, além de inserir no âmbito estadual o projeto da Agricultura Familiar.
 

Luiz Humberto Silva, coordenador do programa de Biodiesel na Região Norte, visita o Estado e apresenta para a equipe de governo as propostas do plano nacional de instalação das políticas do biodiesel para a região. “Discutimos como matriz produtiva o dendê e a instalação da sua produção aqui na Região Norte. A ideia é crescer, mesmo porque é a região com maior área para produção de agricultura no Brasil”, explica Silva.
 

Nos últimos anos, o governo do Estado reforçou sua política de reflorestamento e dentro dessa proposta o dendê tem um importante papel devido ao seu potencial para a produção do biodiesel. “Hoje estamos estudando parcerias com o Ministério do Desenvolvimento Agrário e empresas interessadas em produzir biocombustível”, conta o secretário de Floresta, João Paulo Mastrângelo. “Essa é uma das prioridades do governo do Acre para os próximos anos.”
 

O secretário adjunto da Seaprof, Humberto Antão, reforça que a política de produção do biodiesel será tratada como prioridade pelo governador Tião Viana junto à inserção do programa de Agricultura Familiar em todos os projetos de desenvolvimento do Estado. “Você tem uma produção ligada à indústria, uma agregação de valores. Temos a produção do dendê, que será entregue à indústria para ser processado e consequentemente gera uma maior renda para o pequeno produtor”, explica Antão.


Fonte: Diário de Pernambuco
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar