acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Governo avalia que coincidência de apagões não é "normal"

26/10/2012 | 11h39

 

Os apagões que atingiram diversas regiões do país recentemente não são "normais", avaliou o ministro interino de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, nesta sexta-feira (26).
Um apagão ocorrido entre o final de quinta-feira (25) e a madrugada desta sexta-feira atingiu todo o Nordeste e parte da região Norte, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).
De acordo com Zimmermann, a causa da falta de energia teria sido um problema na linha de transmissão de Colina-Imperatriz, administrada por uma empresa controlada pela estatal mineira Cemig.
"Eventos como esse não são normais e a coincidência, então, é que é mais anormal ainda", disse o ministro a jornalistas.
No início de outubro, um apagão atingiu o Distrito Federal e um blecaute deixou sem luz áreas no Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Sistema Acre-Rondônia do país.
No apagão da madrugada desta sexta, a perda de carga de energia no momento da interrupção no Nordeste foi de 9.500 megawatts (MW). No Norte, onde Pará e Tocantins ficaram sem luz, a perda foi de 3.500 MW. Há relatos de moradores de Brasília que o corte também afetou parte da capital federal.
Foi convocada uma reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, em Brasília, para discutir as causas do mais recente apagão.

Os apagões que atingiram diversas regiões do país recentemente não são "normais", avaliou o ministro interino de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, nesta sexta-feira (26).


Um apagão ocorrido entre o final de quinta-feira (25) e a madrugada desta sexta-feira atingiu todo o Nordeste e parte da região Norte, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).


De acordo com Zimmermann, a causa da falta de energia teria sido um problema na linha de transmissão de Colina-Imperatriz, administrada por uma empresa controlada pela estatal mineira Cemig.


"Eventos como esse não são normais e a coincidência, então, é que é mais anormal ainda", disse o ministro a jornalistas.


No início de outubro, um apagão atingiu o Distrito Federal e um blecaute deixou sem luz áreas no Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Sistema Acre-Rondônia do país.


No apagão da madrugada desta sexta, a perda de carga de energia no momento da interrupção no Nordeste foi de 9.500 megawatts (MW). No Norte, onde Pará e Tocantins ficaram sem luz, a perda foi de 3.500 MW. Há relatos de moradores de Brasília que o corte também afetou parte da capital federal.


Foi convocada uma reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, em Brasília, para discutir as causas do mais recente apagão.



Fonte: Agência Reuters
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar