acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Preços

Gasolina acelera inflação

11/11/2005 | 00h00

IPCA mais do que dobra entre setembro e outubro e ameaça meta

Sob o peso da gasolina, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou para 0,75% em outubro, mais que dobrando em relação a setembro, quando atingiu 0,35%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A alta do combustível, em outubro, respondeu por quase 25% da alta do indicador, cujo resultado surpreendeu até mesmo o mercado, que esperava avanço de 0,56% na última semana, segundo boletim do Banco Central. Com o resultado, a inflação acumulada chega a 4,75% e encosta na meta de inflação anual, de 5,1%.

No mês passado, o BC informou, na ata da reunião do Comitê de Política Monetária, que a perspectiva de inflação em convergência à meta permitiria o corte realizado na taxa de juros, de 0,5%, que caiu para 19% ao ano. O BC informou, ainda, que o impacto da gasolina na inflação em outubro seria brando.

Na gasolina, o aumento médio foi de 4,17%, que provocou um impacto de 0,18 ponto percentual no índice. Álcool (10,48%), passagens aéreas (11,06%) e ônibus urbanos (1,1%) foram outras fortes influências no item transporte, que respondeu por 65% da alta do IPCA.

A entressafra da carne provocou inversão da tendência de queda dos alimentos, que ocorria há quatro meses. O preço da carne subiu 4,20% e o do frango, 3,90%. A alta no item foi de 0,27%, contra queda de 0,25% em setembro.

Outros itens em alta foram salários domésticos (1,12%), vestuário (0,72%) e planos de saúde (0,95%). Entre as quedas, estão feijão carioca (8,09%), alho (-6,85%), batata (-6,57%), ovos (-3,56%) e arroz (-3,06%).

O resultado acumulado de 4,75% é inferior aos 5,95% registrados em igual período de 2004. Nos últimos 12 meses, o índice ficou em 6,36%, acima dos 12 meses imediatamente anteriores (6,04%). Em outubro de 2004, a taxa mensal havia sido de 0,44%.



Fonte: Jornal do Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar