acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Arcelor Mittal

Ganhos da siderúrgica alcançam US$ 3,8 bi

06/11/2008 | 02h28

A ArcelorMittal, maior siderúrgica do mundo, reportou lucro líquido de US$ 3,82 bilhões (ou US$ 2,79 por ação) no terceiro trimestre deste ano, alta de 29% ante os US$ 2,96 bilhões (ou US$ 2,10 por ação) obtidos em igual período do ano anterior. No acumulado dos nove primeiros meses deste ano, o resultado foi de US$ 12,03 bilhões (ou US$ 8,66 por ação), superior ante os US$ 7,93 bilhões (ou US$ 5,70 por ação) apresentados em igual período de 2007.

 

A companhia reduzirá a produção em decorrência da desaceleração econômica, que diminuiu a demanda por parte de construtoras e montadoras e causou a queda dos preços. A produção de aço-carbono laminado diminuirá 35% nos Estados Unidos e 30% na Europa, os maiores mercados do grupo siderúrgico com sede em Luxemburgo, informou ontem a ArcelorMittal em apresentação no seu website. Além disso, o grupo reduzirá os estoques de aço inoxidável e a produção na África e na Ásia.

 

O presidente Lakshmi Mittal, de 58 anos, está se unindo a concorrentes na Rússia, Coréia do Sul e Japão na redução da produção só dois meses após a alta recorde dos preços. A demanda por aço vai declinar no próximo ano, conforme as previsões de Hohan Rode, do Citigroup, e de Peter Narcus, sócio-diretor do instituto de pesquisa World Steel Dynamics.

 

"Permanecemos otimistas quanto às perspectivas de crescimento de médio prazo do setor, mas é apropriado fazer uma pausa na nossa estratégia de crescimento até termos um cenário econômico mais estável", disse Mittal no demonstrativo de do grupo. O lucro do terceiro trimestre ficou abaixo da estimativa mediana de US$ 5,72 bilhões de analistas ouvidos pela Bloomberg. As vendas acumuladas avançaram 38% para US$ 35,2 bilhões.

 

A ArcelorMittal informou que manterá o dividendo básico a US$ 1,50 a ação em 2009 e reduzirá a dívida líquida em US$ 10 bilhões antes do fim do próximo ano. Os lucros antes de juros, depreciação e amortização serão de US$ 2,5 bilhões a US$ 3 bilhões no quarto trimestre, informou o grupo.

 

O transporte marítimo de aço registrou baixa de 1,5%, para 25.6 milhões de toneladas no terceiro trimestre. A bobina laminada a quente, um produto referencial do aço usado em carros e na construção, alcançou média de € 797,31 (US$ 1,028.3) a tonelada no terceiro trimestre na Europa, 61% acima do preço de igual período do ano passado, conforme os dados compilados pela Metal Bulletin. Terá média de US$ 550 em 2009, disse Rohde em nota para os investidores. A Severstal, maior siderúrgica da Rússia, e as concorrentes nacionais Evraz Group e Mechel informaram na semana passada que estão reduzindo as despesas. A Corus, unidade britânica da Tata Steel, da Índia, informou na semana passada que pode prolongar o corte de 20% durante o segundo trimestre de 2009.

 

As vendas americanas de carros caíram 27% em setembro, o mais acentuado declínio mensal desde 1991, enquanto as vendas européias declinaram 8,2%.



Fonte: Gazeta Mercantil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar