acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petrobras

Gabrielli rebate FHC e diz que perspectivas eram sombrias quando assumiu a empresa

07/02/2006 | 00h00

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, rebateu nesta segunda-feira (06/02), no Espírito Santo, as declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de que a auto-suficiência em exploração de petróleo a ser alcançada pela companhia ainda neste primeiro semestre seja fruto de investimentos de governos passados.

Segundo Gabrielli, quando a atual administração assumiu as perspectivas da empresa eram sombrias. "Havia um processo deliberado de retalhar a companhia, ao que tudo indicava, para facilitar a sua venda em pedaços. Mas essa orientação foi revertida, a partir de 2003 e a Petrobras voltou a ser estruturada como um sistema integrado e corporativamente unificada".

Falando por ocasião de solenidade de inauguração de quatro grandes empreendimentos da Petrobras na região norte do Espírito Santo, Gabrielli destacou o crescimento da companhia nos últimos três anos e os resultados operacionais e financeiros do período.

As informações sobre as declarações de Gabrielli em Vitória foram divulgadas em nota distribuída pela empresa. Segundo a nota, ele lembrou que em três anos a empresa apresentou crescimento em todos os seus segmentos e se consolidou no mercado de capitais, "como demonstra o aumento do seu valor de mercado, de R$ 60 bilhões em 2002 para R$ 204 bilhões no início do primeiro mês de 2006".

O presidente da Petrobras lembrou que, na troca de administração, as áreas de exploração e produção, após quatro leilões realizados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), eram declinantes. Segundo ele, a escolha de Guilherme Estrella, "um geólogo respeitável nacional e internacionalmente no setor", para a diretoria de Exploração e Produção, modificou essa trajetória. "Ampliamos nossa participação nos leilões e hoje constituímos um portfólio de exploração que garante a auto-suficiência do país não apenas até 2007 ou 2008, mas para horizonte mais longo, com excelentes perspectivas de resultados positivos na exploração."



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar