acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Relações exteriores

Furlan negocia parceria de biocombustível com Alemanha

12/07/2006 | 00h00

Brasil e Alemanha pretendem desenvolver parceria na área de biocombustível. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, apresentou proposta nesta terça-feira (11/07) ao governo alemão, e conta que teve boa acolhida.

“Foi proposto pelo Brasil e aceito pelos alemães um incremento das relações no campo da tecnologia para a produção de biocombustivel, uma vez que a Alemanha vem aumentando fortemente sua produção de biodiesel. Também há a decisão do governo alemão de ampliar o uso de etanol”, afirmou Furlan por telefone, de Berlim, onde participa da 33ª reunião da comissão mista de cooperação econômica Brasil-Alemanha.

Segundo o ministro, a Alemanha já fabrica veículos que podem usar 85% de etanol, combustível produzido em larga escala no Brasil.

“Mas a disponibilidade do etanol ainda está restrita a menos de uma centena de postos de abastecimento. Por isso há um grande interesse do governo alemão de cooperação nesta área”.

Empresários alemães também mostraram interesse em investir na área de infra-estrutura, por meio das parcerias público-privadas, segundo Furlan. “O ministro alemão fez declarações muito positivas em relação ao Brasil. Temos grandes possibilidades nas áreas de infra-estrutura e energia”, disse, referindo-se ao ministro da Economia e Tecnologia, Bernd Pfaffenbach.

Brasil e Alemanha também criaram um grupo técnico para equilibrar o comércio entre os dois países. Segundo os alemães, a balança pesa mais para o lado brasileiro, com ligeiro déficit para o outro lado. O governo brasileiro contabilizou, em 2005, um comércio de US$ 11,2 bilhões, com déficit brasileiro pouco superior a US$ 1 bilhão. De qualquer forma, segundo Furlan, governos e empresários dos dois países pretendem ampliar o fluxo de comércio.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar