acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Freio na produção industrial reduz crescimento da demanda por eletricidade

06/02/2012 | 17h10
A queda da atividade do setor industrial, que refletiu a redução da demanda e dos investimentos devido à crise internacional, e a ocorrência de temperaturas amenas ao longo do ano explicam, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o crescimento de 3,4% da carga de energia do Sistema Interligado Nacional (SIN), em 2011, em comparação com o ano anterior.

O melhor resultado em termos de energia gerada no país foi apresentado pelo Subsistema Sul, com expansão de 5,2% no ano passado, em razão do bom desempenho econômico da região, puxado pela agroindústria.

Embora detenha participação de 60% na carga do SIN, o Subsistema Sudeste/Centro-Oeste mostrou aumento na geração de energia de 3,3%, em relação ao ano passado. De acordo com o ONS, isso se deveu às temperaturas amenas, abaixo da média registrada no ano anterior, além da redução da atividade industrial.

Já no Subsistema Norte, a carga de energia evoluiu 4,5%, em 2011, influenciada pelo desempenho da carga dos grandes consumidores, chamados eletrointensivos (como as indústrias de alumínio e eletroeletrônica), localizados na região. Já o Subsistema Nordeste registrou a menor expansão da carga, apenas 1,1% no ano.

Divulgados hoje (6) pelo ONS, os dados revelam, também, aumento de 1,8% na geração de energia no país em janeiro deste ano, comparativamente a janeiro de 2011. Em relação a dezembro, o crescimento foi 0,5%, acumulando nos últimos 12 meses ampliação de 3% na carga de energia do SIN.

No Subsistema Sudeste/Centro-Oeste, a carga cresceu 0,1%, impactada pelo grande volume de chuvas no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e no Espírito Santo.

Os maiores aumentos de carga em janeiro foram apurados nos subsistemas Nordeste (8,5%) e Norte (5,8%). O maior fluxo turístico observado nessa época do ano para a região e o desempenho da produção dos grandes consumidores eletrointensivos justificam a expansão dos dois subsistemas, segundo análise do ONS.

No Subsistema Sul, a carga de energia evoluiu 1% ante o mesmo mês de 2011, refletindo as elevadas temperaturas e a estiagem prolongada na região, principalmente no Rio Grande do Sul.


Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar