acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Foster diz que rebaixamento da Petrobras pela Moody´s será superado

07/10/2013 | 15h39

 

A presidente da Petrobras, Graça Foster, disse que o rebaixamento da classificação de risco da companhia pela agência Moody's “é um alerta” para a estatal. “Ninguém gosta de ganhar nota baixa”, admitiu a executiva, ao sair do plenário do Senado, onde houve sessão solene do Congresso para homenagear o aniversário de 60 anos da empresa.
De acordo com Graça, o rebaixamento faz a Petrobras “passar a cuidar ainda melhor de seus indicadores” e “tudo isso será superado”. Ela ressaltou que “muito em breve a Petrobras estará produzindo muito mais" e lembrou que as operações da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, com início previsto para 2014, dão largada ao processo de ampliação na área de refino da estatal.
Segundo a executiva, apesar do rebaixamento, a Petrobras ainda é a empresa brasileira mais bem avaliada pela Moody's.
Questionada sobre as declarações recentes do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, de que a gasolina pode subir até o fim do ano, Graça foi evasiva: "Não temos previsão de data para o reajuste".
Ela disse ainda que "a Petrobras está focada no leilão (do campo) de Libra e não na cessão onerosa de Franco". Graça se recusou a dizer, no entanto, com que empresas a estatal negocia participar do leilão e fez questão de destacar que isso será conhecido apenas no dia 21 de outubro - data prevista para a abertura dos envelopes pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A presidente da Petrobras, Graça Foster, disse que o rebaixamento da classificação de risco da companhia pela agência Moody's “é um alerta” para a estatal. “Ninguém gosta de ganhar nota baixa”, admitiu a executiva, ao sair do plenário do Senado, onde houve sessão solene do Congresso para homenagear o aniversário de 60 anos da empresa.


De acordo com Graça, o rebaixamento faz a Petrobras “passar a cuidar ainda melhor de seus indicadores” e “tudo isso será superado”. Ela ressaltou que “muito em breve a Petrobras estará produzindo muito mais" e lembrou que as operações da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, com início previsto para 2014, dão largada ao processo de ampliação na área de refino da estatal.


Segundo a executiva, apesar do rebaixamento, a Petrobras ainda é a empresa brasileira mais bem avaliada pela Moody's.


Questionada sobre as declarações recentes do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, de que a gasolina pode subir até o fim do ano, Graça foi evasiva: "Não temos previsão de data para o reajuste".


Ela disse ainda que "a Petrobras está focada no leilão (do campo) de Libra e não na cessão onerosa de Franco". Graça se recusou a dizer, no entanto, com que empresas a estatal negocia participar do leilão e fez questão de destacar que isso será conhecido apenas no dia 21 de outubro - data prevista para a abertura dos envelopes pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

 

Não basta só ter descobertas, é preciso saber produzir

 

"Não basta só ter descobertas. É preciso saber produzir, refinar, transformar e agregar valor. Só isso traz, à Petrobras e ao país, resultados econômicos expressivos", disse Graça a jornalistas, ao sair do plenário do Senado.

Questionada novamente sobre o escândalo de espionagem eletrônica protagonizado pelo governo americano, Graça disse: "Petróleo é energia. Energia é soberania e motiva o interesse mundial. É um fato inequívoco que estamos, sim, produzindo no pré-sal. Tudo isso motiva a curiosidade e o interesse".



Fonte: Valor Online
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar