acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Oil&Gas

Fornecedor projeta crescimento de 10% a 15% em 2007

14/09/2006 | 00h00

A Cummins Brasil, empresa especializada na fabricação de motores industriais e de veículos pesados, tem meta de crescimento de 10% a 15% em 2007 no negócio de motores para setor de óleo e gás. Há dois anos, a empresa decidiu dar maior ênfase a esta linha de negócios no Brasil e montou uma estrutura local de vendas e suporte.

O negócio de motores corresponde a 56% das atividades da Cummins, que inclui ainda venda componentes e serviços. Deste percentual, 2% corresponde aos motores para o setor de óleo e gás. Globalmente, a Cummins faturou US$ 10 bilhões em 2005, dos quais US$ 6,7 bilhões foram no negócios de motores. Considerando que a fatia dos motores para óleo e gás é de 2%, o faturamento no setor foi de US$ 134 milhões.

O gerente de marketing da empresa, Luis Chain Faraj, informa ainda que a aposta da companhia tem sido na internacionalização do negócio, com uma aposta bastante firme nos países que formam a sigla BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China). Atualmente, 2% dos negócios de motores para óleo e gás no mundo estão situados no Brasil, que é o pólo da companhia norte-americana na América do Sul. "Antigamente, os negócios de óleo e gás da Cummins eram 98% nos Estados Unidos, hoje 2% é apenas na América Latina e há ainda outros negócios no mundo", observa Faraj.

O gerente de distribuição no Rio de Janeiro, Antônio Colares, observa, ainda, que as expectativas da companhia para os próximaos anos são muito promissoras e cita o Plano de Negócios da Petrobras. "Só nos 26 petroleiros que a Petrobras pretende construir, podemos oferecer de 6 a 8 motores para equipamentos e bombas internas de cada um deles. No caso dos barcos de apoio podemos fornecer até alguns motores de propulsão", comenta.

Colares informa que mesmo antes de ter uma divisão local voltada para o setor de óleo e gás, a Cummins já fornecia para a Petrobras há muitos antos e tem 500 motores de óleo e gás operando hoje no Brasil. Como exemplos, Colares cita as plataformas P-43, P-37, P-31 e todo o campo de Vermelho.

A partir da nova divisão, criada a dois anos, os contratos com a Petrobras são de manutenção, serviços e suprimentos de peças. A Cummins tem ainda contratos com prestadoras de serviços como a Subsea7, Agrecco, Halliburton e BJ Services. Com a BJ o acordo é mundial e determina o compromisso de que todos os equipamentos fornecidos pela empresa em seus serviços devem ser da Cummins.



Fonte:
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar