acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Revolução energética

Fontes renováveis podem cobrir metade da demanda por eletricidade até 2050

27/10/2008 | 16h00

Metade da eletricidade consumida no mundo poderia ser gerada por fontes renováveis, diz a segunda edição do estudo Revolução energética: Perspectivas para uma energia global sustentável, lançado hoje na Alemanha pelo Greenpeace.

 

O estudo diz ainda que, atualmente, apenas 13% da demanda mundial de energia primária é suprida pelas renováveis. De acordo com a pesquisa elaborada pelo Centro Aeroespacial da Alemanha, por ecomenda do Greenpeace e da Comissão Européia de Energia Renovável (EREC, na sigla em inglês), investimentos agressivos em renováveis poderiam resultar em uma indústria com faturamento de US$ 360 bilhões anuais.

 

Dentro do cenário traçado, as termelétricas fósseis desapareceriam, o que geraria uma economia de US$ 18 trilhões na compra de combustíveis fósseis - valor mais que suficiente para financiar o aumento das renováveis na matriz energética mundial.

 

A adoção de fontes alternativas de energia é fundamental para combater as mudanças climáticas, que já estão alterando ecossistemas e provocando cerca de 150 mil mortes por ano. Um aquecimento global médio de 2°C ameaçará milhões de pessoas com o aumento de fome, malária, inundações e escassez de água. O principal gás responsável pelo efeito estufa é o dióxido de carbono (CO2), produzido pela queima de combustíveis fósseis para a geração de eletricidade e transporte.

 

O cenário Revolução Energética tem como meta para 2050 a redução de 50% das emissões mundiais de CO2, em relação aos níveis de 1990, a fim de manter o aumento da temperatura global abaixo de 2°C. A eficiência energética tem o papel principal na redução destas emissões. O estudo considera a adoção de padrões rígidos de eficiência, essenciais para a redução da demanda energética e também para a redução dos custos energéticos globais. Esta redução pode ser obtida em indústrias, residências e nos setores comercial e público.

 

Empregos – No contexto da atual instabilidade econômica, outro benefício do uso de renováveis é a geração de postos de trabalho, muito maior que nos mecanismos de geração a partir de fontes fósseis. "O mercado global de energia renovável pode crescer a taxas de dois dígitos até 2050, e ultrapassar o tamanho da atual indústria de combustíveis fósseis. Hoje, o mercado de energia renovável movimenta US $ 70 bilhões e dobra de tamanho a cada três anos”, avalia Oliver Schäfer, diretor de Política da EREC. “A indústria de renováveis está pronta para responder à necessidade de fazer da revolução energética uma realidade. O que impede uma reestruturação do setor energético mundial é a falta de vontade política”, completa Schafer.

 

“A proposta do cenário Revolução energética pode ser perfeitamente aplicada nacionalmente. O potencial de energias renováveis como eólica, solar e cogeração a biomassa é extremamente alto e a implantação destas energias vai reduzir a construção de mais termelétricas fósseis no futuro” diz Ricardo Baitelo, coordenador da campanha de energias renováveis do Greenpeace no Brasil. “A intensificação de programas de eficiência energética e a redução dos gastos com combustíveis fósseis serão tão positivos para o meio ambiente quanto para a nossa economia, haja visto o aumento das tarifas de eletricidade por conta da operação excessiva das termelétricas neste ano” completa.  

 

O cenário traçado pelo estudo assegura que países desenvolvidos economizem a maior parte da energia e assegurem que países em desenvolvimento como Brasil, China e Índia tenham acesso à energia que necessitam para seu crescimento.

 

Medidas - A Revolução Energética prevê a transformação do atual modelo energético em um sistema sustentável por meio das seguintes medidas:
- Até 2050, 56% da demanda de energia primária deverá ser suprida por fontes renováveis.
- Ampla exploração do potencial de eficiência energética, garantindo que a demanda de energia primária cresça pouco – dos atuais 474.900 PJ/a (2005) para 478.420 PJ/a em 2050. Esse é um pré-requisito crucial para possibilitar uma participação significativa de fontes renováveis de energia na oferta de energia.
 - Aumento do uso da cogeração, melhorando a eficiência da conversão de energia dos sistemas de suprimento, utilizando cada vez mais gás natural e biomassa.
- O setor de eletricidade será o pioneiro na utilização da energia renovável. Até 2050, cerca de 77% da eletricidade será produzida a partir de fontes renováveis (incluindo hidrelétricas).
- No setor de aquecimento, a contribuição das renováveis chegará a 70% até 2050. Combustíveis fósseis serão substituídos por tecnologias modernas mais eficientes.
- Antes da introdução de biocombustíveis no setor de transportes, deve-se explorar os grandes potenciais de eficiência. Neste estudo, a biomassa é empregada prioritariamente para aplicações estacionárias. Assim, a produção de biocombustíveis é limitada pela disponibilidade de matéria-prima sustentável. Veículos elétricos devem ter um papel cada vez mais importante a partir de 2020.

 

O relatório em inglês está disponível no http://www.greenpeace.org/international/news/energy-revolution-now271008.



Fonte: Assessoria Greenpeac
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar