acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Renováveis

Fonte solar será responsável por 7 mil MW na matriz elétrica até 2024

13/10/2015 | 16h58
Fonte solar será responsável por 7 mil MW na matriz elétrica até 2024
Depositphotos Depositphotos

 

A geração de energia elétrica fotovoltaica, pelos raios do sol, alcançará 7.000 MW no Brasil até 2024, sem contar com a geração distribuída. O dado consta no Plano Decenal de Energia Elétrica 2024 (PDE 2024), colocado em consulta pública no mês de setembro pelo Ministério de Minas e Energia (MME). Segundo o planejamento para a próxima década, a potência instalada de eletricidade a partir do sol representará quase 4% da potência total brasileira de 2024. Atualmente, a fonte é responsável por 0,02% da potência elétrica do país.
Um significativo potencial de oferta de energia proveniente de recursos renováveis é previsto no horizonte decenal. A participação da fonte solar somada ao segmento da eólica, biomassa e das Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) deve corresponder 28% na matriz de capacidade instalada de energia elétrica em 2024. Atualmente, este conjunto de fontes corresponde a uma parcela de  17% na mesma matriz. As quatro modalidades deverão alcançar potência instalada próxima de 60 GW, quase três vezes a potência de 2014, com 22 GW.
As hidrelétricas (com exceção das PCHs) deverão prover 111 GW da matriz elétrica, ou 53% da potência total. Já a fonte eólica, com potência estimada de 24 GW em 2024, deverá representar 11,5% do total e será a 2ª maior potência instalada de renováveis, superando os 19 GW previstos para biomassa. Ao somar as outras fontes renováveis, 81% da matriz elétrica de 2024 será composta pela hidroeletricidade e fontes como a eólica, solar, biomassa e as PCHs, segundo o PDE.
 
Geração distribuída
 
A estimativa para a expansão da geração de energia elétrica pela modalidade distribuída em diversas fontes, energia gerada pelos próprios consumidores, é de 7% em média ao ano até 2024. Em 2014, a parcela da autoprodução representou cerca de 10% do consumo total de eletricidade do País, ou 52 TWh (terawatt/hora), e passará para quase 13% ao final desse horizonte, ou cerca de 100 TWh.
Há projeção ainda para que a energia solar distribuída, instalada em residências e no comércio, alcance 1,6 TWh em 2024, o que representará 1,6% do total da geração distribuída, ou 0,2% da oferta total de energia elétrica de 2024.
Esse mecanismo de produção é uma das alternativas mais eficientes e objeto de iniciativas do governo para que se amplie. O montante da geração distribuída de 100 TWh em 2024 é equivalente ao recorde da geração de Itaipu, de 98,6 TWh, verificado em 2013.

A geração de energia elétrica fotovoltaica, pelos raios do sol, alcançará 7.000 MW no Brasil até 2024, sem contar com a geração distribuída. O dado consta no Plano Decenal de Energia Elétrica 2024 (PDE 2024), colocado em consulta pública no mês de setembro pelo Ministério de Minas e Energia (MME). Segundo o planejamento para a próxima década, a potência instalada de eletricidade a partir do sol representará quase 4% da potência total brasileira de 2024. Atualmente, a fonte é responsável por 0,02% da potência elétrica do país.

Um significativo potencial de oferta de energia proveniente de recursos renováveis é previsto no horizonte decenal. A participação da fonte solar somada ao segmento da eólica, biomassa e das Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) deve corresponder 28% na matriz de capacidade instalada de energia elétrica em 2024. Atualmente, este conjunto de fontes corresponde a uma parcela de  17% na mesma matriz. As quatro modalidades deverão alcançar potência instalada próxima de 60 GW, quase três vezes a potência de 2014, com 22 GW.

As hidrelétricas (com exceção das PCHs) deverão prover 111 GW da matriz elétrica, ou 53% da potência total. Já a fonte eólica, com potência estimada de 24 GW em 2024, deverá representar 11,5% do total e será a 2ª maior potência instalada de renováveis, superando os 19 GW previstos para biomassa. Ao somar as outras fontes renováveis, 81% da matriz elétrica de 2024 será composta pela hidroeletricidade e fontes como a eólica, solar, biomassa e as PCHs, segundo o PDE. 

Geração distribuída 
A estimativa para a expansão da geração de energia elétrica pela modalidade distribuída em diversas fontes, energia gerada pelos próprios consumidores, é de 7% em média ao ano até 2024. Em 2014, a parcela da autoprodução representou cerca de 10% do consumo total de eletricidade do País, ou 52 TWh (terawatt/hora), e passará para quase 13% ao final desse horizonte, ou cerca de 100 TWh.

Há projeção ainda para que a energia solar distribuída, instalada em residências e no comércio, alcance 1,6 TWh em 2024, o que representará 1,6% do total da geração distribuída, ou 0,2% da oferta total de energia elétrica de 2024.
Esse mecanismo de produção é uma das alternativas mais eficientes e objeto de iniciativas do governo para que se amplie. O montante da geração distribuída de 100 TWh em 2024 é equivalente ao recorde da geração de Itaipu, de 98,6 TWh, verificado em 2013.

 



Fonte: MME
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar