acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petrobras

Finalmente divulgado o balanço da Petrobras: Superação da crise?

23/04/2015 | 11h50
Finalmente divulgado o balanço da Petrobras: Superação da crise?
Agência Petrobras Agência Petrobras

Diante da maior crise institucional de sua história, a Petrobras finalmente divulgou as demonstrações contábeis referentes ao último trimestre de 2014. Depois de cinco meses de atraso e muitas expectativas quanto ao valor do rombo financeiro imputado às contas da estatal, o presidente Almir Bendine anunciou um prejuízo de R$ 21,6 bilhões, sendo que os desvios causados pela corrupção somaram R$ 6,2 bilhões.

Com a dificuldade de mensurar o cálculo das perdas geradas pelos desvios, a Petrobras somou os contratos firmados com as empresas fornecedoras envolvidas na Operação Lava Jato e aplicou uma taxa de 3% (percentual de propina) sobre esse valor, que foram revelados como pagamentos à partidos políticos no âmbito da delação premiada de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento. A baixa por corrupção avaliou contratos de R$ 199,6 bilhões. Embora o balanço divulgado tenha tido aprovação sem ressalvas pela auditora independente PricewaterhouseCoopers (PwC), o resultado não teve consenso entre os conselheiros administrativos da Petrobras. Mas o fato é que a distorção causada pelo pagamento de propina a partidos políticos – não contabilizadas como custos de projeto – inflaram os ativos da estatal.

De acordo com o resultado, as maiores perdas (55%) foram detectadas na área de Abastecimento, controlada por ele. Em seguida, a área de Exploração e Produção, que registrou 32%.

Em face da desvalorização de seus ativos e papéis acionários, a Petrobras foi obrigada a anunciar o plano de desinvestimento para o biênio 2015/16 de US$ 13,7 bilhões. Com isso, espera-se que a empresa possa retomar as rédeas para superar as mazelas e voltar a crescer de forma sustentável.



Fonte: Redação TN
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar