acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
E&P

Falta de navios atrasa instalação de plataformas para gás natural na Bacia de Santos, diz Gabriel

20/07/2006 | 00h00

A falta de navios de transporte para a instalação de plataformas seria um dos principais obstáculos para a entrada em funcionamento do Campo de Mexilhão, na Bacia de Santos. O campo de gás natural deve começar suas operações no segundo semestre de 2008. A avaliação foi feita nesta quarta-feira (19) pelo presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli.

Ele explicou que só existem dois navios no mundo capazes de realizar esse trabalho: "Esses navios que servem para fazer o transporte do estaleiro até a instalação, com  funções de grandes guindastes, são muito escassos. Representam uma impossibilidade do ponto de vista físico".

A exploração do Pólo de Mexilhão deverá possibilitar que até 2009 sejam produzidos de 8 a 9 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. Atualmente, a Bacia de Santos produz pouco mais de 1 milhão de metros cúbicos. Em todo o país, esse volume chega a 44 milhões.      

José Sérgio Gabrielli participou de uma apresentação do plano de investimentos da Petrobras a empresários, na sede da Firjan - Federação de Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. O plano 2007-2011 da estatal, divulgado no último dia 30, prevê investimentos de US$ 87,1 bilhões – valor 66% superior ao do período anterior.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar