acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Alta

Expansão da Solaris

09/09/2008 | 06h17

Impactada positivamente pelo processo de expansão dos setores de petróleo, gás, construção civil e siderurgia, a Solaris, especializada em locação de equipamentos e pertencente ao grupo argentino Sullair , vê crescer a demanda no seu segmento de mercado e planeja investimentos de US$ 120 milhões, nos próximos três anos, no Brasil. Desse montante, a metade será destinada à ampliação dos negócios de plataformas aéreas e os outros US$ 60 milhões ao aumento dos grupos geradores, da frota de manipuladores telescópicos, além de serviços de terraplenagem.

 

Segundo o diretor da Solaris no Brasil, Paulo Esteves, a empresa vive bom momento e têm contribuído para isso, principalmente, a estabilidade macroeconômica e a expansão de atividades de grandes empresas como a Vale e a Petrobras. "Petróleo e mineração estão empurrando os negócios nas áreas nas quais atuamos e a expectativa é de que esse processo se mantenha em franco crescimento", afirmou o executivo.

 

Embora considere muito cedo falar em perspectivas de exploração do pré-sal, onde estariam localizadas reservas gigantescas de petróleo, à profundidade de pelo menos sete mil metros, Esteves disse acreditar que esse tipo de atividade, no longo prazo - entre dez e 20 anos - abrirá frente de negócios para a Solaris.

 

A empresa, segundo o executivo, poderia ser fornecedora de grupos geradores, entre outros equipamentos necessários à construção de navios, plataformas, oleodutos e demais projetos estruturantes para o setor.

 

"Estamos atentos a essa discussão que é muito nova. Os custos para esse tipo de atividade é muito alto, mas existe potencial e as estimativas indicam que para explorar o pré-sal seriam necessários investimentos de US$ 200 bilhões nos próximos 13 anos, o que movimentaria intensamente toda a economia para garantir as condições de exploração", afirmou Esteves.

 

Com carteira de mil clientes ativos, incluindo grandes empresas como Andrade Gutierrez, Braskem, Construtora Norberto Oldebrecht, Vale, Petrobras, entre outras, o grupo argentino Sullair, estimou encerrar este ano com faturamento de US$ 250 milhões, sendo 35% referentes à participação da empresa brasileira que controla. Em 2007, o grupo fechou com US$ 200 milhões, montante com o qual a solaris participou com 30%.

 

A matriz da Solaris está localizada em Osasco (SP), e suas filiais em Campinas (SP), Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Serra (ES), Dias D´Ávila (BA) e Curitiba. Mas os projetos de expansão dos negócios da empresa no Brasil exigiram da locadora de equipamentos a chegada a novas praças com as filiais do Recife, de São Luiz, Goiânia e Porto Alegre.

 

O diretor disse que a empresa, ,além de ter equipamentos que garantem a segurança em processos de construção de navios, plataformas, entre outros projetos em alturas de até 45 metros, atua em operações de manutenção, o que lhe permite muitas possibilidades de atendimento de demandas em momento em que diversos setores da economia estão em franco crescimento.

 

"O país ainda tem muito o que investir em infra-estrutura, por isso temos expectativas muito positivas para os negócios no Brasil no médio e longo prazos", enfatizou o diretor da Solaris.

 

Criada em 1997, a Solaris foi associação com a empresa americana JLG Industries, maior fabricante mundial de plataformas aéreas de trabalho.

 

Em 2000, a Sullair argentina, com atuação nos segmentos de geração de energia, fabricação e distribuição de compressores Sullair, distribuição de grupos geradores Cummins, além de locação de plataformas, entre outros equipamentos, entrou na sociedade, tendo adquirido a totalidade das ações da empresa, em 2007.



Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar