acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
RenovaBio

Executivos brasileiros estão nos EUA divulgando o RenovaBio

12/06/2018 | 17h27

Uma comitiva de executivos brasileiros, liderada pela ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis participam de uma missão nesta semana nos Estados Unidos, com objetivo de trocar experiências e obter subsídios para as resoluções da ANP relativas ao RenovaBio. Na liderança da comitiva estão os diretores da ANP, Aurélio Amaral e Felipe Kury. Dentre os participantes da comitiva brasileira está Amaury Pekelman, presidente do conselho da BioSul e vice-presidente de relações institucionais da Atvos e Luciano Rodrigues, Gerente de Economia e Análise Setorial da Única, dentre outros.

A comitiva, que ficará até a próxima sexta-feira nos Estados Unidos, tem uma agenda lotada para discussões sobre as políticas de biocombustíveis norte-americanas Low Carbon Fuel Standard (LCFS), regulado pela Environmental Protection Agency (EPA), e Renewable Fuel Standard (RFS), regulado pelo California Air Resources Board (CARB).

"O LCFS e o RFS foram os programas utilizados como base pelo governo brasileiro para estabelecer o RenovaBio - programa do Governo Federal para expandir a produção de biocombustíveis no Brasil, baseada na previsibilidade, na sustentabilidade ambiental, econômica e social, e compatível com o crescimento do mercado", destacou nota da assessoria da ANP.

Ontem, a delegação realizou reunião no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Washington, DC. Durante a missão, também serão visitadas na cidade associações de produtores de biocombustíveis para verificar sua visão sobre o LCFS e o RFS. Estão previstas ainda reuniões com associações de produtores de etanol, biodiesel, biogás e biometano, além da EPA e do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que analisa projeções da produção de biocombustíveis, considerando a RFS e a LCFS.

 

 



Fonte: Redação/Assessoria UDOP
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar