acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Química

Evonik eleva projeções para 2010

28/07/2010 | 09h30
Os resultados financeiros anunciados pela Evonik Industries AG referentes ao primeiro trimestre de 2010 são animadores. A empresa, que atua em segmentos como Química e Energia, relatou melhoria considerável em todos os seus principais indicadores, fato que elevou o nível de otimismo e confiança de seus dirigentes.
 

As vendas do Grupo Evonik atingiram a marca de R$ 3.769 milhões no primeiro trimestre de 2010, aumento de 18% em relação ao mesmo período do ano passado, que foi marcado pela crise econômica mundial. O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu 126%, chegando a R$ 744 milhões, principalmente devido ao maior volume de vendas. 
 

A margem do EBITDA saltou para 19,7%, ante 10,3% no primeiro trimestre de 2009. O EBIT (lucro antes do pagamento de juros e impostos) mais que quadruplicou no período, chegando a R$ 554 milhões, sendo impulsionado, principalmente, pelo desenvolvimento das áreas de negócios de Químicos e de Energia. Globalmente, o lucro líquido do Grupo Evonik foi de R$ 290 milhões, comparado a um prejuízo de R$ 46 milhões no primeiro trimestre de 2009.
 

Evolução positiva nas três áreas de negócios
 

A tendência de negócios bem sucedidos registrada pela área de Químicos no quarto trimestre de 2009 teve continuidade e ganhou força no início de 2010. Houve um aumento claro de demanda, especialmente na Ásia e na Europa, e uma ligeira aceleração na América do Norte. Globalmente, as vendas foram consideravelmente maiores que as registradas no primeiro trimestre do ano passado, que foi severamente impactado pela crise econômica, chegando a R$ 2.989 milhões - 32% de crescimento no período. 
 

O desempenho foi atribuído ao aumento de 30% no volume de vendas e a uma ligeira melhoria, de 3%, nos preços, enquanto que os efeitos do câmbio cortaram as vendas em 1%. O EBITDA cresceu 140%, para R$ 579 milhões. O EBIT quintuplicou, chegando a R$ 425 milhões, impulsionado principalmente pelo significativo crescimento dos volumes e do respectivo aumento da utilização da capacidade instalada. O incremento substancial dos custos de matérias-primas foi parcialmente recuperado através dos preços de venda.
 

Na Área de Negócios de Energia as vendas caíram 15% (ano a ano), para R$ 689 milhões, resultado da redução dos preços do carvão. O EBITDA subiu 67%, para R$149 milhões, e o EBIT avançou 93%, para R$ 129 milhões.
 

Perspectivas positivas para 2010
 

Apesar de ainda haver um pouco de incerteza relativa às tendências econômicas, especialmente tendo em conta a situação dos mercados financeiros, os bons resultados registrados no primeiro trimestre trouxeram otimismo para a Evonik quanto ao seu desempenho durante o ano de 2010. Graças à maior demanda, o grupo revela que o crescimento das vendas deverá permanecer na faixa percentual de dois dígitos. Globalmente, a Evonik espera que tanto o EBITDA quanto o EBIT sejam superiores aos do ano passado. 

 
Um impulso positivo virá do programa de melhoria da eficiência, que visa alcançar uma economia sustentada de custos de cerca de R$ 500 milhões a partir de 2012. Até o final do primeiro trimestre de 2010, medidas específicas já haviam sido definidas para alcançar 80% dessa meta. 



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar