acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Brasil Offshore 2013

Evento encerra com recordes

14/06/2013 | 22h13
Evento encerra com recordes
Divulgação Divulgação

Após quatro dias de evento, o mercado de petróleo e gás amplia suas projeções e traz boas perspectivas para a economia nacional. A Brasil Offshore (Feira e Conferência da Indústria de Petróleo e Gás) reuniu em quatro dias cerca de 51 mil visitantes e mais de 1.000 marcas expositoras.



O evento, terceiro maior do mundo no setor, é palco para apresentações de produtos, serviços, tecnologia e estudos que impactam diretamente no mercado. Prova disso, são os negócios fechados no evento e a partir dele. Dados da Reed Exhibitions Alcantara Machado, promotora do evento, revelam que o poder de compra do público credenciado para visitar o evento, nesta edição, passou de R$ 300 milhões. Alguns negócios já são fechados durante a exposição, como a Bauer Kompressoren, que vendeu durante o evento um produto que havia levado apenas para expor. “A quarta-feira foi o melhor dia do evento para nossa participação. Um bom canal para networking, definitivamente. Durante a feira, inclusive, vendemos um compressor de R$ 80.000,00” comenta André Magalhães, Gerente de Área da companhia. Outra parte dos negócios chega a se estender por até seis meses, resultado de contatos iniciados no evento.



Mais um indicador positivo são os números das Rodadas de Negócios, realizadas pela Onip (Organização Nacional da Indústria do Petróleo). Este ano, foram realizados 550 encontros com a participação de 98 fornecedores - ante 320 encontros da edição anterior da Brasil Offshore, realizada em 2011.  A Onip credita a esses encontros uma movimentação em torno de R$ 196 milhões, contra R$ 170 milhões realizados na edição passada. Somado o poder de compra do público visitante com o montante das Rodadas de Negócios, a Brasil Offshore 2013 gerou  negócios na ordem de R$ 500 milhões.



Paulo Octávio Pereira de Almeida, Vice Presidente da promotora, explica que a Brasil Offshore 2013 foi o start para as diferentes demandas que o setor de petróleo e gás vive no país. “Se um dia a Brasil Offshore estava direcionada à Bacia de Campos, na região de Macaé (RJ), hoje atrai empresários e autoridades de todo o país. O Brasil tem um grande desafio nas mãos: as principais bacias petrolíferas do país, Campos e Santos, vivem momentos antagônicos. A primeira está numa região madura, e a segunda, ganha cada vez mais relevância pelas recentes oportunidades de exploração do pré-sal. Para esses dois contextos, a Brasil Offshore foi decisória - ora pelo conteúdo técnico apresentado em suas conferências, ora pelo poder de negócios e convergência gerado entre visitantes e expositores”.

 


Ponto alto do evento, a conferência da Brasil Offshore 2013 reuniu 1.035 congressistas. Pela primeira vez, a participação não teve custos para o público, o que contribuiu para o aumento da participação de profissionais qualificados nas palestras. “A conferência mostrou que subsea é o grande tema a ser trabalhado, nos próximos anos. A demanda por esses equipamentos é muito clara e intensa, por isso, a discussão a respeito dos procedimentos, metodologias e novas tecnologias, serão fundamentais daqui para frente para que a garantia da integridade desses equipamentos seja adotada já na fase de projeto fortalecendo a cultura de prevenção na indústria de petróleo e gás. Destaco também a expressiva participação internacional de conferencistas, contribuindo para a difusão de novos conhecimentos e networking”, explica Carlos Victal, Gerente de Responsabilidade Social do IBP e membro do Comitê Técnico da Conferência. A conferência organizada pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e SPE (Society of Petroleum Engineers),  contou, com 44 palestrantes,



25% internacionais. Em três plenárias e oito sessões técnicas, o pilar dessa edição foi “Integridade: Quando Você Deve Se Preocupar?”. As palestras trouxeram conhecimento técnico em perfuração, completação e reservatório.



Hoje, no último dia da feira, a Prefeitura de Macaé garantiu a 8ª edição do evento, durante assinatura do contrato de cessão do Centro de Convenções Jornalista Roberto Marinho, o Macaé Centro, com a Reed Exhibitions Alcantara Machado, para o primeiro semestre de 2015.



A garantia da cessão foi feita pelo prefeito, Dr. Aluízio, por meio de documento oficial. A cerimônia de assinatura contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico da Prefeitura de Macaé, Lincoln Weinhardt, do presidente da Fundação de Esporte e Turismo (Fesportur), Luiz Renato Lucas Martins, do vice-presidente executivo da Reed Exhibitions Alcantara Machado, Paulo Octavio Pereira de Almeida, além do diretor da feira, Igor Tavares.



Para o prefeito, a Brasil Offshore é importante para impulsionar o desenvolvimento econômico do município, que deve estar acompanhado do desenvolvimento social. “Macaé precisa, de fato, ser a grande cidade do petróleo e este governo, junto à população, trabalha todos os dias para isso, junto com o Governo do Estado, Governo Federal, Poder Legislativo, empresas e instituições que queiram o desenvolvimento do município. Porém, o grande protagonista desta história deverá sempre ser a população, a sociedade, os cidadãos, e seus grandes parceiros devem ser a indústria do petróleo, a universidade e o governo municipal”, destacou.

 

 



Fonte: Revista TN Petróleo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar