acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Oil & Gas 2010

Evento é aberto oficialmente hoje

13/09/2010 | 14h05

A 15ª edição da Rio Oil & Gas, maior evento do setor no mundo e o maior da América Latina, foi aberta oficialmente nesta segunda-feira (13). O evento receberá cerca de 40 mil visitantes até quinta-feira (16). Com o tema, "Do petróleo ao biocombustível: Integrando conhecimento e ampliando os limites", a Rio Oil & Gas deste ano sofreu uma maior internacionalização e reunirá 1300 expositores, tendo 51 países representados.

 

Esta é a maior edição do evento que é realizado de dois em dois anos no Rio de Janeiro. "Dessa vez, a procura foi tanta que tivemos que colocar mais duas tendas para a exposição, além dos quatro pavilhões do Rio Centro que sempre são utilizados", indicou o João Carlos de Luca, presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), durante a cerimônia de abertura do evento.

 

Na ocasião, De Luca reiterou o apelo pelas licitações das áreas exploratórias do pré-sal.

 

O executivo informou também que a organização recebeu 1096 sinopses de trabalhos técnicos e que 800 destes serão apresentados no congresso. E, no espaço "Profissionais do futuro", o IBP recebeu cerca de dois mil universitários inscritos.

 

Durante a cerimônia de abertura, o diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa ressaltou o período de ascensão em que vive o setor de petróleo e gás no Brasil, principalmente após a descoberta da camada pré-sal. "As novas descobertas estão colocando o Brasil entre os maiores produtores de petróleo do mundo, gerando renda, emprego e dignidade ao povo", afirmou.

 

Segundo o representante da Petrobras, a estatal pretende dobrar o volume do seu resgate com o pré-sal. Sobre a mudança no marco regulatório das reservas no Brasil por conta da camada, Marco Antônio comentou: "As reservas passaram por uma mudança de patamar - do médio para grande - devido à descoberta da camada e a regulação deve acompanhá-la."

 

Também presente na ocasião, Haroldo Lima, diretor geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), afirmou que não se deve concentrar esforços no pré-sal e abrir mão da divisão energética do país. "Devemos trabalhar para a revitalização dos campos marginais, importantes para as pequenas e médias empresas", acrescentou.

 

Segundo o executivo, os problemas do pré-sal estão relacionados à produção em condições inusitadas e inéditas, bem como à restrita atenção ao petróleo, deixando de lado seus derivados. O presidente da ANP estendeu seus comentários às modificações no marco regulatório de exploração do combustível: "Mudamos o marco regulatório não para auferir maiores lucros mas para controlar a produção do petróleo no pré-sal."

 

Haroldo ainda afirmou que talvez neste fim de ano saia o edital para a 11ª licitação de exploração do combustível fóssil no Brasil.

 

O governador do Rio, Sérgio Cabral, encerrou a abertura da Rio Oil & Gas lembrando que possivelmente no final do ano será inaugurada a nova fase do Centro de Pesquisas da Petrobras (CENPES) e que a cidade irá pleitear ser sede do Congresso Internacional de Gás em 2018.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar