acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Projeção

EUA serão maiores produtores mundiais de petróleo e gás em 2013

03/10/2013 | 10h04

 

Os Estados Unidos superarão a Rússia como o maior produtor mundial de petróleo e gás até o final deste ano, se já não assumiu essa posição, informou nesta quarta-feira (02) o jornal "Wall Street Journal" em uma análise publicada em seu site.
O forte aumento da produção americana nos últimos anos graças à extração de petróleo e gás não convencionais, unido ao fato de que a Rússia tem problemas para manter seu ritmo de extração, são os fatores-chave para a troca de postos.
"Trata-se de uma mudança de papéis extraordinária", disse ao jornal Adam Sieminski, chefe da Agência de Informação da Energia, uma entidade do governo americano cujos números foram utilizados para a realização do estudo.
O jornal lembra que as importações de gás dos EUA caíram 32% nos últimos cinco anos, enquanto as de petróleo recuaram 15%, o que fez com que o país reduzisse fortemente seu déficit comercial e sua dependência energética do exterior.
Os Estados Unidos já produziram em 2012 mais gás natural que a Rússia, e sua extração de petróleo pode já ter alcançado a russa neste semestre, embora ainda não tenham sido revelados dados concretos para determiná-lo.
A Rússia produziu uma média de 10,8 milhões de barris diários de petróleo na primeira metade deste ano, o que representa 900.000 barris a mais que os Estados Unidos, embora a produção deste último esteja subindo rapidamente.
O "WSJ" lembra que a menor dependência econômica americana de energia está fazendo com que, como resultado, os países produtores tenham menor mercado e reduzida capacidade de influência política. 

Os Estados Unidos superarão a Rússia como o maior produtor mundial de petróleo e gás até o final deste ano, se já não assumiu essa posição, informou nesta quarta-feira (2) o jornal "Wall Street Journal" em uma análise publicada em seu site.


O forte aumento da produção americana nos últimos anos graças à extração de petróleo e gás não convencionais, unido ao fato de que a Rússia tem problemas para manter seu ritmo de extração, são os fatores-chave para a troca de postos.


"Trata-se de uma mudança de papéis extraordinária", disse ao jornal Adam Sieminski, chefe da Agência de Informação da Energia, uma entidade do governo americano cujos números foram utilizados para a realização do estudo.


O jornal lembra que as importações de gás dos EUA caíram 32% nos últimos cinco anos, enquanto as de petróleo recuaram 15%, o que fez com que o país reduzisse fortemente seu déficit comercial e sua dependência energética do exterior.


Os Estados Unidos já produziram em 2012 mais gás natural que a Rússia, e sua extração de petróleo pode já ter alcançado a russa neste semestre, embora ainda não tenham sido revelados dados concretos para determiná-lo.


A Rússia produziu uma média de 10,8 milhões de barris diários de petróleo na primeira metade deste ano, o que representa 900.000 barris a mais que os Estados Unidos, embora a produção deste último esteja subindo rapidamente.


O "WSJ" lembra que a menor dependência econômica americana de energia está fazendo com que, como resultado, os países produtores tenham menor mercado e reduzida capacidade de influência política. 



Fonte: Redação, com agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar