acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Venezuela

EUA ameaça parar de importar petróleo da Venezuela

23/08/2017 | 09h00
EUA ameaça parar de importar petróleo da Venezuela
Divulgação Divulgação

Nicolás Maduro da Venezuela, assegurou ontem, terça-feira (22), que tomará medidas para enfrentar um possível bloqueio petroleiro imposto pelos Estados Unidos, a quem acusou de realizar uma "perseguição financeira" contra o país caribenho. A informação é da EFE.

"Eu tenho preparado um conjunto de decisões e medidas para defender-nos do bloqueio comercial, petroleiro e financeiro que Donald Trump vai decretar contra a Venezuela", disse Maduro no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas, durante uma coletiva de imprensa com meios de comunicação locais e estrangeiros.

Maduro afirmou que seu governo está avaliando "todos os cenários" econômicos junto à plenipotenciária Assembleia Nacional Constituinte (ANC) - integrada unicamente por oficialistas -, entre eles o da possível "agressão internacional que anunciam da Casa Branca contra a Venezuela".

"Estamos preparados e peço o apoio decidido de todo o povo da Venezuela e dos governos e povos do mundo, porque a Venezuela não será afogada por ninguém, nem vai ajoelhar-se perante ninguém", bradou Maduro, acrescentando que coordenará ações para garantir a distribuição de alimentos, geralmente escassos no país.

O governante indicou, além disso, que o Executivo e a Constituinte, vista por boa parte da comunidade internacional como um órgão ilegítimo, começarão "um processo de recuperação econômica”, e de combate a uma inflação que Maduro considera "induzida" e alcançará 720% este ano, segundo o Fundo Monetário Internacional.

"Trump decretou uma perseguição financeira contra a Venezuela, agora a Constituinte tem que defender a Venezuela", disse ele. Nos últimos meses, o governo americano determinou sanções contra vários venezuelanos e emitiu duros pronunciamentos contra a administração de Maduro, que classifica como "ditadura".

Por enquanto, no entanto, o Tesouro americano segue sem aplicar sanções diretas ao setor petroleiro, núcleo da economia venezuelana, como a proibição da importação de petróleo.



Fonte: Redação/Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar