acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Estudo aponta o Brasil como o quinto país que mais investe em renováveis

13/07/2011 | 09h48
De acordo com o documento REN21 Renewables 2011 Global Status Report, que disseca anualmente os números e dados sobre energia renovável, o Brasil é o quinto país que mais investe no setor. Os investimentos somam US$7 bilhões em 2010. As informações foram divulgadas na terça-feira (12), em Paris.

No montante destinado a novos potenciais, o Brasil fica atrás apenas de China (US$50 bilhões), Alemanha (US$41 bi), Estados Unidos (US$30 bi) e Itália (US$7 bi), sendo que o consolidado mundial chegou aos US$211 bilhões - alta de 32% sobre o ano anterior. Sobre a queda brasileira em relação a 2009, o estudo argumenta que o foco do país esteve na consolidação do setor de biocombustíveis, o que levou os recrusos para aquisições e fusões na área.

Entre os fomentadores locais da economia, o REN21 destaca o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) como a segunda instituição que mais financiou projetos renováveis em todo o planeta, com um total de US$3,1 bilhões para o segmento em 2010. O órgão brasileiro ficou atrás do Banco de Investimento Europeu, que desembolsou US$5,1 bilhões, e na frente do alemão KfW, com US$1,5 bilhões.

O Brasil também ficou na parte superior da tabela quanto aos incentivos para as fontes limpas, sendo citado entre os três no grupo dos 26 classificados como "renda média-alta" a contar com as duas linhas de financiamento público: "investimentos, empréstimos e garantias" e "processos de licitação". O relatório destaca ainda os programas Minha Casa, Minha Vida e Luz Para Todos como caminhos para a expansão dos sistemas de aquecimento solar e sistemas de distribuição isolados.

Políticas de incentivo

O REN21 2011 contabiliza, até o início do ano, 87 países ou estados com políticas voltadas para o suprimento de energias renováveis. A lista começou com os Estados Unidos, ainda em 1978, e contou com a adição do Brasil em 2002. Na época, o ranking trazia 23 localidades.

Empregos

A página dedicada à geração de empregos no setor destaca as novas economias - China, Brasil e Índia - com "importantes papeis na energia eólica, aquecimento solar e biocombustíveis", o que cria postos de trabalho nos setores de manufatura, instalação, operação e manutenção. Segundo o estudo, o Brasil tem 14 mil trabalhadores na área de energia eólica, sendo o sétimo país em uma lista encabeçada pela China, com 150 mil dos 630 mil funcionários da área espalhados pelo planeta.

Expansão de geração

Ainda de acordo com o documento, a capacidade de geração de energia renovável, excluindo o potencial hídrico, chegou a 312GW em 2010, contra 250GW no ano anterior. Com a força das águas, os números são, respectivamente, de 1.320GW e 1.230GW.

O estudo pode ser encontrado no site da REN 21, que também disponibiliza um mapa interativo das energias renováveis.


Fonte: Redação/ Agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar