acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

Estoque sobe nos EUA e segura preço do petróleo

29/08/2008 | 05h06

Os preços futuros do petróleo conseguiram inverter o rumo de alta dos três últimos pregões e fecharam com baixa, acompanhando o movimento dos preços do gás, que tombaram cerca de 6% ontem, devido ao aumento dos estoques acima do esperado. 


O contrato de WTI negociado para o mês de outubro em Nova York fechou o dia com queda de US$ 2,56, para US$ 115, 59. O vencimento para novembro terminou a US$ 115,99, com recuo de US$ 2,45. Em Londres, o barril de Brent para o mês de outubro caiu US$ 2,05, para US$ 114,17. O contrato para novembro encerrou valendo US$ 115,45, com desvalorização de US$ 2,14. 


Os investidores também levaram em conta o fato de a Agência Internacional de Energia informar que pode liberar os estoques estratégicos dos 27 países membros em caso de necessidade, como um eventual estrago no Golfo do México causado por furacão, como o que ocorreu em 2005.  
 
"É muito cedo para pensar em qualquer implicação ainda, mas estamos acompanhando isso de perto com o governo dos EUA", disse Aad van Boheman, chefe de planejamento e preparação de emergência da AIE, à Reuters. 


A agência, que coordena medidas de emergência em momentos de problemas na oferta de petróleo, liberou estoques de produtos de petróleo em 2005, quando o furacão Katrina prejudicou as operações na região. 


Questionado sobre quanto tempo a AIE precisaria para decidir sobre a liberação de estoque se a tempestade atingir a região estratégica, van Bohemen afirmou: "Para o Katrina, reagimos em 24 horas, o que é muito bom quando se leva em consideração que nossos membros estão em 16 fusos horários." Ele disse que empresas e o governo americano estão melhor preparados agora do que quando surgiu o Katrina, em 2005. 


Os EUA, maior consumidor de petróleo do mundo, não sofrem escassez de petróleo, mas poderia precisar de produtos derivados se as operações, especialmente de refinarias, forem prejudicadas pelo Gustav. A Petrobras decidiu retirar seis empregados não essenciais de uma plataforma no Golfo do México, temendo a aproximação da tempestade Gustav, que ameaça se transformar em furacão. "Todo o pessoal não essencial trabalhando na plataforma EC373, no campo de Cottonfield, será evacuado nesta quinta ou sexta-feira, devido à aproximação do Gustav", informou a empresa em nota. 


"Nós sempre estamos prontos para garantir alívio adicional ao mercado se for necessário", disse van Bohemen, explicando que a ação da AIE só é necessária se os consertos levarem vários meses. "Se os reparos levarem uma ou duas semanas, existe estoque abundante nos EUA para lidar com isso", completou. A previsão é de que o Gustav atinja a costa do golfo na segunda-feira, alguns dias após o aniversário dos furacões Katrina e Ritta. 



Fonte: Valor Online
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar