acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Licitação

Estaleiros brasileiros estão 40% mais caros do que internacionais

14/03/2006 | 00h00

Os preços das propostas apresentadas por consórcios e empresas participantes da licitação da Transpetro estão cerca de 40% mais caros do que os preços internacionais se considerados orçamentos para os navios básicos, que não incluem as exigências feitas pelaTranspetro no edital. O presidente da estatal, Sérgio Machado, informou que a partir de agora inicia-se um processo de negociação com todos os primeiros colocados na licitação.

Os lotes de 10 navios Suezmax e de cinco Aframax receberam propostas do consórcio Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Queiróz Galvão, Aker Promar e Samsung e do consórcio Rio Naval formado pelas empresas Grupo MPE, IESA, Sermetal e Hyundai. O grupo liderado pela construtora apresentou os menores preços para a construção dos Suezmax (veja quadro ao final), enquanto o grupo Rio Naval fez melhores ofertas para o lote de Aframax. Para a construção de Panamax o único postulante foi o consórcio Rio Naval e para o lote de Gaseiros (GLP), a proposta apresentada foi do estaleiro Itajaí. Na audiência pública anterior já havia sido aberta a proposta do estaleiro Mauá Jurong para navios de produtos.

A expectativa de Sérgio Machado, é de que até o final de abril os contratos sejam assinados e até o final do ano o primeiro navio esteja concluído. "Concluído não significa flutuando", destacou.

A comissão de licitação manteve a decisão de exclusão dos grupos Keppels Fels/Brasfels e Eisa Montagens, que na avaliação da estatal não apresentaram consdições financeiras suficientes para assumir as obras.

O critério utilizado pela Transpetro para a escolha das empresas será o de melhor preço, o que inclui uma série de quesitos, incluindo prazos, e não necessáriamente o de menor preço.

As propostas apresentadas pelas licitantes foram:

 

1 - Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, Aker Promar e Samsung

Suezmax com aço nacional - US$ 141,4 milhões

Suezmax com aço a preço internacional - US$ 121 milhões

Aframax com aço nacional - US$ 132,3 milhões

Aframax com aço a preço internacional - US$ 115,2 milhões

 

2 - Rio Naval

Suezmax com aço nacional - US$ 151,4 milhões

Suezmax com aço a preço internacional - US$ 138,9 milhões

Aframax com aço nacional - US$ 122,5 milhões

Aframax com aço a preço internacional - US$ 98,4 milhões

Panamax com aço nacional - US$ 112,4 milhões

Panamax com aço a preço internacional - US$ 102,6 milhões

3 - Estaleiro Itajaí

GLP com aço nacional _ US$ 51,9 milhões

GLP com aço a preço internacional _ US$ 49,9 milhões



Fonte:
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar