acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Pré-Sal

Estaleiro Aliança batiza e entrega o CBO Flamengo

16/08/2012 | 11h05
Estaleiro Aliança batiza e entrega o CBO Flamengo
Divulgação Divulgação

 

O Estaleiro Aliança realiza nesta quinta-feira (16) o batismo e entrega do navio CBO Flamengo à Companhia Brasileira de Offshore (CBO), em evento realizado no próprio estaleiro.
A embarcação, um navio de apoio marítimo do tipo PSV 4.500 (Platform Supply Vessel), vai operar para a Petrobras atuando no suprimento à plataformas de produção de petróleo em alto-mar.
Este é o 19º navio da frota da CBO, formada por navios tecnologicamente sofisticados. Sua madrinha será a sra. Geni da Silva Celidonio, esposa do diretor do Grupo Fischer, José Lopes Celidonio.
De acordo com o presidente da CBO e do Estaleiro Aliança, Luiz Maurício Portela, a embarcação foi construída no Estaleiro Aliança, em Niterói, com financiamento do Fundo de Marinha Mercante (FMM), do Ministério dos Transportes, concedido pelo BNDES, e incentivos dos governos federal e estadual.
Nova série de navios
O CBO Flamengo inicia uma nova série de navios tipo PSV 4.500, com capacidade de carga 50% superior aos anteriores, outros três novos navios do mesmo porte serão construídos para a CBO no Estaleiro Aliança, com entregas previstas em 2013 e 2014.
Neste navio o estaleiro utiliza a verticalização da sua produção, com o processamento, corte, conformação e pintura básica realizada na unidade industrial Aliança Offshore, localizada em São Gonçalo.
“Os resultados obtidos com a operação industrial da Aliança Offshore atenderam plenamente nossos objetivos de maior velocidade de produção”, informa Luiz Maurício Portela.
A CBO opera no segmento de navegação de apoio marítimo, no suprimento às plataformas, na atividade de reboque de plataformas e manuseio de âncoras, flotel, na proteção ambiental com embarcações de recolhimento de óleo e em operações com ROV (Veículo Submarino de Operação Remota).
Sobre o CBO Flamengo
O CBO Flamengo é o primeiro navio de uma nova série de quatro navios de apoio marítimo tipo PSV 4.500. Incorpora inovações tecnológicas a partir do formato do casco X-Bow da projetista norueguesa Ulstein. O formato da proa propicia melhor comportamento em mar agitado, melhorando o desempenho no apoio marítimo a plataformas de petróleo em campos a mais de 200 km da costa, onde se localiza a nova fronteira de produção de petróleo offshore do pré-sal.
Essa série de navios será dotada de sistema de propulsão diesel-elétrico, uma solução aprovada no mercado mundial. O sistema dá maior flexibilidade no uso do conjunto de motores, principalmente nas aplicações que exigem muitas manobras como é o caso do suprimento a plataformas de petróleo ou com veículos submarinos de operação remota (ROV - Remote Operated Vehicle), nas tarefas de instalações submarinas, inspeção ou mapeamento de redes subaquáticas.
Os novos navios terão sistemas de posicionamento dinâmico com redundância para maior segurança das operações e sistemas de comunicação de dados e de voz de última geração, via satélite.
CBO Flamengo - Características
Tipo: PSV
Comprimento total: 88,8 (m)
Comprimento LPP: 82,0 (m)
Boca: 19,0 (m)
Pontal: 8,0 (m)
Calado máximo: 6,5 (m)
Porte bruto: 4.500 (t)
Propulsão: diesel-elétrica
Geração de energia: 1 x 360 (kW) - 4 x 1.710
Propulsores laterais: 2 x 800 (kW)
Velocidade: 14 (nós)

O Estaleiro Aliança realiza nesta quinta-feira (16) o batismo e entrega do navio CBO Flamengo à Companhia Brasileira de Offshore (CBO), em evento realizado no próprio estaleiro. A embarcação, um navio de apoio marítimo do tipo PSV 4.500 (Platform Supply Vessel), vai operar para a Petrobras atuando no suprimento à plataformas de produção de petróleo em alto-mar.


Este é o 19º navio da frota da CBO, formada por navios tecnologicamente sofisticados. Sua madrinha será a sra. Geni da Silva Celidonio, esposa do diretor do Grupo Fischer, José Lopes Celidonio.


De acordo com o presidente da CBO e do Estaleiro Aliança, Luiz Maurício Portela, a embarcação foi construída no Estaleiro Aliança, em Niterói, com financiamento do Fundo de Marinha Mercante (FMM), do Ministério dos Transportes, concedido pelo BNDES, e incentivos dos governos federal e estadual.



Nova série de navios


O CBO Flamengo inicia uma nova série de navios tipo PSV 4.500, com capacidade de carga 50% superior aos anteriores, outros três novos navios do mesmo porte serão construídos para a CBO no Estaleiro Aliança, com entregas previstas em 2013 e 2014.


Neste navio o estaleiro utiliza a verticalização da sua produção, com o processamento, corte, conformação e pintura básica realizada na unidade industrial Aliança Offshore, localizada em São Gonçalo.


“Os resultados obtidos com a operação industrial da Aliança Offshore atenderam plenamente nossos objetivos de maior velocidade de produção”, informa Luiz Maurício Portela.


A CBO opera no segmento de navegação de apoio marítimo, no suprimento às plataformas, na atividade de reboque de plataformas e manuseio de âncoras, flotel, na proteção ambiental com embarcações de recolhimento de óleo e em operações com ROV (Veículo Submarino de Operação Remota).



Sobre o CBO Flamengo


O CBO Flamengo é o primeiro navio de uma nova série de quatro navios de apoio marítimo tipo PSV 4.500. Incorpora inovações tecnológicas a partir do formato do casco X-Bow da projetista norueguesa Ulstein. O formato da proa propicia melhor comportamento em mar agitado, melhorando o desempenho no apoio marítimo a plataformas de petróleo em campos a mais de 200 km da costa, onde se localiza a nova fronteira de produção de petróleo offshore do pré-sal.


Essa série de navios será dotada de sistema de propulsão diesel-elétrico, uma solução aprovada no mercado mundial. O sistema dá maior flexibilidade no uso do conjunto de motores, principalmente nas aplicações que exigem muitas manobras como é o caso do suprimento a plataformas de petróleo ou com veículos submarinos de operação remota (ROV - Remote Operated Vehicle), nas tarefas de instalações submarinas, inspeção ou mapeamento de redes subaquáticas.


Os novos navios terão sistemas de posicionamento dinâmico com redundância para maior segurança das operações e sistemas de comunicação de dados e de voz de última geração, via satélite.



CBO Flamengo - Características


Tipo: PSV

Comprimento total: 88,8 (m)

Comprimento LPP: 82,0 (m)

Boca: 19,0 (m)

Pontal: 8,0 (m)

Calado máximo: 6,5 (m)

Porte bruto: 4.500 (t)

Propulsão: diesel-elétrica

Geração de energia: 1 x 360 (kW) - 4 x 1.710

Propulsores laterais: 2 x 800 (kW)

Velocidade: 14 (nós)



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar