acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Espírito Santo

Estado marca história mundial da exploração do petróleo

02/09/2008 | 05h08

Celebrado como a nova fronteira da exploração de petróleo do país e do mundo, o primeiro poço a produzir petróleo na camada de pré-sal será, oficialmente, inaugurado hoje pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. O começo da era do pré-sal será no Litoral Sul do Espírito Santo, no campo de Jubarte, um dos cinco que compõem o Parque das Baleias.

 

O destaque para a nova fronteira petrolífera do país foi dado ontem, em entrevista coletiva concedida pelo diretor de exploração e produção da Petrobras, Guilherme Estrella. "Consideramos o poço 103 como um poço-escola, que vai permitir à companhia obter informações sobre esta camada de sal e como poderemos melhorar a tecnologia e reduzir os custos para chegar ao óleo e ao gás que estão abaixo desta camada", explicou Estrella.

 

Um dos motivos para o início da produção no pré-sal ser pelo Espírito Santo é a característica do fundo do mar no Litoral Sul. Diferentemente da Bacia de Santos, onde a camada de sal tem 2 mil metros de espessura, o que eleva para mais de 7 mil a profundidade total, no Espírito Santo a camada de sal tem 200 metros de espessura e profundidade de 4,5 mil no campo de Jubarte.

 

Teste

 

Para o gerente executivo de exploração de produção do pré-sal, José Formigli, tanto o início da operação de Jubarte, quanto o teste de longa duração no campo de Tupi, são a base para determinar as características do óleo do pré-sal, o tipo de equipamento a ser usado e a forma de desenvolver os campos. Tupi foi o primeiro campo onde foi registrada a ocorrência de óleo nesta camada ultra profunda.

 

Estrella e Formigli destacaram que a Petrobras já tem tecnologia tanto para explorar em Jubarte quanto em Tupi. "O que precisamos é conseguir reduzir os custos", afirmou o diretor de exploração e produção, que chegou a Vitória um dia antes de Lula e Gabrielli.

 

Experiência

 

No caso específico do Espírito Santo, o começo em Jubarte foi facilitado pelo fato de que já existem quatro campos em produção na camada pós-sal. "Fizemos um poço para iniciar no pré-sal para termos mais informações e conhecimentos sobre estas novas áreas", explicou o gerente-geral da Petrobras no Estado, Márcio Felix.

 

Ele informou que mais uma sonda chegará ao Estado para fazer novas explorações no pré-sal. Em 2009, outras duas sondas estão previstas também para o Espírito Santo.

 

No Parque das Baleias, formado por cinco campos, poderá ocorrer o início da produção no pré-sal antes mesmo da reserva já conhecida no pós-sal. O gerente executivo de exploração, Mário Carminatti, explicou que tudo vai depender das condições de cada campo.

 

"Só começamos a produzir em Jubarte, mas já sabemos que há reservas no campo de Cachalote e vamos iniciar a perfuração, em outubro, no campo de Baleia Azul. Se for mais interessante poderemos começar pelo pré-sal", explicou. Acima da camada de sal, o óleo é pesado (17º API), enquanto que, no pré-sal, o óleo é leve e tem mais gás. O óleo leve, além de ser mais nobre, tem também melhor preço.

 

A atividade de petróleo já emprega 14 mil pessoas, diretamente, no Estado.

 

Vitória recebe comitivas internacionais

 

Além de trazer a Vitória uma comitiva com vários ministros, o presidente Luiz Inácio lula da Silva e a direção da Petrobras decidiram transformar a solenidade que marcará o início da produção no pré-sal em um evento para ganhar espaço na imprensa. Para acompanhar a solenidade, ainda que de longe, repórteres dos grandes jornais do Rio, São Paulo e Brasília estão em Vitória desde ontem. Jornalistas de agências internacionais de notícias também vieram ao Estado. A solenidade na plataforma P-34, prevista para começar às 9h40, será assistida pelos jornalistas pela televisão, já que a plataforma não tem condições de receber a comitiva e todos os repórteres, fotógrafos e cinegrafistas. A transmissão será feita pela Agência de Noticias da Petrobras.

 

Perfuração

 

R$ 1,7 bilhão é quanto a Petrobras investiu na perfuração de 15 poços que atingiram as camadas pré-sal.



Fonte: A Gazeta - ES
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar