acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

EPE disponibiliza informações sobre geração eólica no país

03/09/2013 | 16h37

 

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) disponibiliza em seu site a partir desta terça-feira (3) um abrangente conjunto de informações geradas por diversos parques eólicos atualmente em operação no Brasil. Disponível através de um endereço eletrônico, o banco de dados será apresentado nesta terça-feira (3) pelo presidente da EPE, Mauricio Tolmasquim, durante o evento “Brazil WindPower 2013”, no Rio de Janeiro.
O espaço reúne dados históricos sobre temperatura, umidade relativa do ar, velocidade média e permanência de velocidade do vento. Esses dados são compilados a partir de estações de medição instaladas em 180 parques eólicos no Rio Grande do Norte (73), Bahia (51), Ceará (28) e Rio Grande do Sul (28). Cada uma dessas 180 estações encaminha quinzenalmente à EPE um volume de informações, apuradas a cada 10 minutos, que supera 41 mil registros. São quase de 15 milhões de registros por mês. Os dados cobrem um período de janeiro de 2012 a junho de 2013 - prazo este que será ampliado gradativamente.
Pode-se, por exemplo, verificar que, nesse período de 18 meses, a velocidade média do vento nos parques eólicos baianos variou entre 6 e 11 metros por segundo (m/s), registradas em novembro e agosto de 2012, respectivamente. Ou que, em 2012, com exceção do mês de novembro, a velocidade do vento, em metade do tempo (permanência de 50%), foi igual ou superior a 8m/s nos parques eólicos da Bahia.
Na avaliação do presidente da EPE, trata-se de um importante ferramental, tanto para investidores do setor eólico quanto para outros agentes do mercado, como consultores e pesquisadores. “A disponibilização desse sistema de coleta de informações é um passo importante para que, no futuro, os modelos de planejamento consigam mensurar melhor os benefícios da operação conjunta de parques eólicos e usinas hidrelétricas, duas fontes sazonais”, explica Tolmasquim.
Desde 2009, quando ocorreu o primeiro Leilão de Energia Eólica do país, a EPE solicita aos parques eólicos a disponibilização de um conjunto de dados que permita caracterizar esta fonte. Para recepcionar e gerir essa base de dados, a EPE desenvolveu o Sistema AMA (Acompanhamento das Medições Anemométricas), alimentado com informações provenientes dos parques eólicos desde março de 2011. Essas informações são consideradas fundamentais para manter a consistência das decisões de planejamento da expansão e da operação do sistema.
A fonte eólica que vem ganhando rapidamente participação na matriz elétrica brasileira, devendo atingir pouco menos de 10 mil MW instalados até o ano de 2016.

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) disponibiliza em seu site a partir desta terça-feira (3) um abrangente conjunto de informações geradas por diversos parques eólicos atualmente em operação no Brasil. Disponível através de um endereço eletrônico, o banco de dados será apresentado nesta terça-feira (3) pelo presidente da EPE, Mauricio Tolmasquim, durante o evento “Brazil WindPower 2013”, no Rio de Janeiro.


O espaço reúne dados históricos sobre temperatura, umidade relativa do ar, velocidade média e permanência de velocidade do vento. Esses dados são compilados a partir de estações de medição instaladas em 180 parques eólicos no Rio Grande do Norte (73), Bahia (51), Ceará (28) e Rio Grande do Sul (28). Cada uma dessas 180 estações encaminha quinzenalmente à EPE um volume de informações, apuradas a cada 10 minutos, que supera 41 mil registros. São quase de 15 milhões de registros por mês. Os dados cobrem um período de janeiro de 2012 a junho de 2013 - prazo este que será ampliado gradativamente.


Pode-se, por exemplo, verificar que, nesse período de 18 meses, a velocidade média do vento nos parques eólicos baianos variou entre 6 e 11 metros por segundo (m/s), registradas em novembro e agosto de 2012, respectivamente. Ou que, em 2012, com exceção do mês de novembro, a velocidade do vento, em metade do tempo (permanência de 50%), foi igual ou superior a 8m/s nos parques eólicos da Bahia.


Na avaliação do presidente da EPE, trata-se de um importante ferramental, tanto para investidores do setor eólico quanto para outros agentes do mercado, como consultores e pesquisadores. “A disponibilização desse sistema de coleta de informações é um passo importante para que, no futuro, os modelos de planejamento consigam mensurar melhor os benefícios da operação conjunta de parques eólicos e usinas hidrelétricas, duas fontes sazonais”, explica Tolmasquim.


Desde 2009, quando ocorreu o primeiro Leilão de Energia Eólica do país, a EPE solicita aos parques eólicos a disponibilização de um conjunto de dados que permita caracterizar esta fonte. Para recepcionar e gerir essa base de dados, a EPE desenvolveu o Sistema AMA (Acompanhamento das Medições Anemométricas), alimentado com informações provenientes dos parques eólicos desde março de 2011. Essas informações são consideradas fundamentais para manter a consistência das decisões de planejamento da expansão e da operação do sistema.


A fonte eólica que vem ganhando rapidamente participação na matriz elétrica brasileira, devendo atingir pouco menos de 10 mil MW instalados até o ano de 2016.

 



Fonte: Ascom EPE
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar