acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia Eólica

Entre janeiro e maio de 2017 a geração de energia eólica teve um aumento de 26,5%

20/07/2017 | 16h57

Produção das usinas movidas pela força dos ventos atingiu 3.347,5 MW médios nos cinco primeiros meses do ano; capacidade instalada da fonte é de 10,6 GW.

Dados consolidados do boletim InfoMercado mensal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE apontam que a produção de energia eólica em operação comercial no Sistema Interligado Nacional – SIN, entre janeiro e maio de 2017, foi 26,5% superior à geração no mesmo período do ano passado.

As usinas da fonte produziram um total de 3.347,5 MW médios frente aos 2.646,4 MW médios gerados em 2016. A representatividade da fonte eólica em relação a toda energia gerada no período pelas usinas do Sistema alcançou 5,5% em 2017. A fonte hidráulica (incluindo as Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs) foi responsável por 81% do total e as usinas térmicas responderam por 17,8%.

Ao final de maio deste ano, a CCEE contabilizou 422 usinas eólicas em operação comercial no país, que somavam 10.669 MW de capacidade instalada, incremento de 17,3% frente à capacidade das 356 unidades geradoras existentes no mesmo período do ano passado.

Eólica por Estado

Os números por estado indicam que o Rio Grande do Norte segue como maior produtor de energia eólica do país com 1.076 MW médios em 2017, aumento de 31% em relação ao mesmo período do ano passado. Em seguida, aparece o estado da Bahia com 704 MW médios produzidos (+25,6%), o Rio Grande do Sul, que alcançou 547,6 MW médios (+13%) e o Ceará com 460,6 MW médios (+8,1%).

Os dados consolidados da CCEE de maio de 2017 confirmam ainda o estado do Rio Grande do Norte com a maior capacidade instalada, somando 3.209 MW, aumento de 18,3% em relação a maio de 2016, quando a capacidade instalada era de 2.712 MW. Em seguida aparece o Ceará com 1.965 MW (+21,6%), a Bahia que manteve os 1.750 MW e o Rio Grande do Sul com 1.715 MW (+13%).

 

 



Fonte: Redação/Assessoria CCEE
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar