acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Brazil Windpower 2013

Energia eólica pode chegar a 10,5 GW em 2017

04/09/2013 | 12h18
Energia eólica pode chegar a 10,5 GW em 2017
Parque Eólico Alegria. Divulgação Parque Eólico Alegria. Divulgação

 

Hoje com 2,8 GW de capacidade, o setor de energia eólica deve chegar no ano de 2017 a 10,5 GW de capacidade instalada, tornando-se um dos seis maiores países do mundo com geração pela fonte de energia renovável. Hoje, o Rio Grande do Norte é o estado com maior número de parques instalados com 25 de um total de 119. A Bahia figura em segundo lugar nesse ranking. 
Segundo Élbia Melo, presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), durante a abertura do evento Brazil Windpower 2013, no Rio de Janeiro, os empregos em todo o setor vão chegar a 280 mil até 2020, o que demonstra uma perspectiva de crescimento forte e sustentável do setor nos próximos anos. 
Dentre os motivos da animação do setor está o sucesso dos leilões de energia para as eólicas, que em pouco tempo só não se tornaram mais competitivas do que as hidrelétricas. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, anunciou durante o evento que a energia eólica será inserida no próximo leilão de energia A-5, que será realizado no dia 13 de dezembro. 
"É inegável o avanço das fontes renováveis, incluindo as eólicas, na nossa matriz energética a partir do Proinfa", afirmou o ministro, citando o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica do MME, lançado em 2010. "Temos energia elétrica suficiente para acompanhar o desenvolvimento e o crescimento da economia do Brasil", completou. 
Em 2012, foram inauguradas 15 usinas e este ano já foram nove usinas com início de operação e ligadas ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Além disso, há hoje 93 usinas eólicas em construção, que irão colocar 2300 MW no sistema de energia do país. Para isso, a EPE vai fazer um leilão específico para as linhas de transmissão para os novos parques eólicos, em um sentido de melhorar o planejamento no fornecimento da energia eólica no país. 

Hoje com 2,8 GW de capacidade, o setor de energia eólica deve chegar no ano de 2017 a 10,5 GW de capacidade instalada, tornando-se um dos seis maiores países do mundo com geração pela fonte de energia renovável. Hoje, o Rio Grande do Norte é o estado com maior número de parques instalados com 25 de um total de 119. A Bahia figura em segundo lugar nesse ranking. 


Segundo Élbia Melo, presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), durante a abertura do evento Brazil Windpower 2013, no Rio de Janeiro, os empregos em todo o setor vão chegar a 280 mil até 2020, o que demonstra uma perspectiva de crescimento forte e sustentável do setor nos próximos anos. 


Dentre os motivos da animação do setor está o sucesso dos leilões de energia para as eólicas, que em pouco tempo só não se tornaram mais competitivas do que as hidrelétricas. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, anunciou durante o evento que a energia eólica será inserida no próximo leilão de energia A-5, que será realizado no dia 13 de dezembro. 


"É inegável o avanço das fontes renováveis, incluindo as eólicas, na nossa matriz energética a partir do Proinfa", afirmou o ministro, citando o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica do MME, lançado em 2010. "Temos energia elétrica suficiente para acompanhar o desenvolvimento e o crescimento da economia do Brasil", completou. 


Em 2012, foram inauguradas 15 usinas e este ano já foram nove usinas com início de operação e ligadas ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Além disso, há hoje 93 usinas eólicas em construção, que irão colocar 2300 MW no sistema de energia do país. Para isso, a EPE vai fazer um leilão específico para as linhas de transmissão para os novos parques eólicos, em um sentido de melhorar o planejamento no fornecimento da energia eólica no país. 



Fonte: Redação TN Petróleo/ Rodrigo Miguez
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar