acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Licitações

Empresas vão explorar bacia de PE

21/10/2005 | 00h00

Estado deve participar da 8a rodada de licitações de áreas com petróleo e gás


Depois de garantir a refinaria no Complexo Industrial e Portuário de Suape, Pernambuco deve participar da oitava rodada de licitações de áreas para exploração e produção de petróleo e gás natural no Brasil, que será realizada em outubro do próximo ano. A inclusão do Estado nesse negócio, que garantiu um investimento de US$ 1,797 bilhão na sua sétima edição realizada esta semana, depende do resultado do estudo que vem sendo desenvolvido desde o início deste ano pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na bacia sedimentar pernambucana e da Paraíba. A previsão é que isso termine até o início de dezembro, quando o diretor da ANP, John Forman, deve vir ao Recife apresentar os dados finais para o governador Jarbas Vasconcelos.

O secretário de Infra-Estrutura de Pernambuco, Fernando Dueire, que esta semana se reuniu com Forman, no Rio de Janeiro, comentou que o diretor deve esclarecer em sua visita se há ou não necessidade de um estudo complementar no Estado, para que possa entrar na rodada de licitação. Já foi confirmada a presença do petróleo na bacia, mas ainda não há como precisar a quantidade de hidrocarbonetos. A HRT Petroleum, empresa contratada para fazer o trabalho no litoral do Estado pela ANP, colheu 180 amostras, constatando a presença de hidrocarbonetos, e está concluindo a análise de outras 220 amostras. O estudo custou R$ 5 milhões à agência.

Com informações mais conclusivas a respeito da bacia pernambucana, será possível dividi-la em blocos para a rodada realizada no ano que vem pela ANP. Participam desse processo empresas nacionais, entre elas, a Petrobras, e internacionais. As vencedoras do leilão adquirem o risco exploratório da área por dois anos e, caso encontrem o produto no local, pagam royalties aos estados onde se encontra o óleo. Dados da Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip) apontam que, neste ano, houve a distribuição de aproximadamente R$ 11 bilhões em royalties e participações especiais, para 190 municípios em dez estados.



Fonte: Folha de Pernambuco
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar