acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Internacional

Empresas no Golfo do México avaliam estragos provocados pelo Katrina

08/09/2005 | 00h00

Uma semana depois da passagem do furacão Katrina pelo Golfo do México, as empresas petrolíferas que atuam na região avaliam prejuízos e anunciam medidas para o retorno de suas atividades e de ajuda às vítimas. A Chevron anunciou que a grande maioria de seus 4 mil funcionários nas áreas afetadas pela catástrofe estão salvos e seguros, e os trabalhos de recuperação de suas atividades estão evoluindo. Como medida de segurança a companhia evacuou todos os seus empregados e contratados das instalações offshore no Golfo do México.

A Chevron informou que cerca de 90% dos seus empregados que trabalham em refinarias, operações de vendas e escritórios de exploração e produção onshore foram contactados, bem como os trabalhadores que operam em associação com instalações offshore. Foi disponibilizado um número para que empregados localizados em Louisiana, Mississippi, Alabama e Flórida possam ligar e dar informações sobre suas condições. O nível de produção atual está em 45% do registrado antes da passagem do Katrina. ”Estamos muito orgulhosos dos nossos empregados e contratados, muitos dos quais diretamente afetados pela tempestade. Eles cumpriram suas tarefas sem ferimentos significativos enquanto trabalhavam sob extraordinárias circunstâncias. Continuamos a trabalhar em segurança para garantir mais produção o mais rápido possível”, disse o presidente da Chevron, Kave O´Reilly.

Vôos de reconhecimento e inspeções locais indicam que as maiores instalações de óleo e gás em águas profundas da Chevron no Golfo do México – Genesis, Petronius e Typhoon – não apresentam nenhum dano significativo. Genesis e Typhoon foram reativadas e já estão produzindo óleo e gás. Petronius está pronta para produzir assim que estiver segura para exportar a produção para a infra-estrutura de dutos associada de óleo e gás, onde a extensão dos danos ainda é desconhecida. A integridade dos sistemas de dutos é considerada fundamental para o retorno das atividades dos sistemas de óleo e gás, de terminais onshore e demais plantas.

Outras instalações sofreram danos aparentes, e equipes estão a caminho da região com o objetivo de reiniciar a produção nesses equipamentos. Nas unidades onshore, as bases em Galveston (Texas) e Intercoastal City (Louisiana) estão em plena atividade operacional, assim como a planta de aviação localizada em Picayune (Mississippi). A base localizada em Venice (Louisiana) e um heliporto localizado em Pascagoula (Mississippi) sofreram danos significativos e não estão operando. Essas operações estão sendo feitas por Theodore (Alabama). A Chevron instalou um centro de comando do acidente em Lafayette, para organizar e gerenciar os esforços de recuperação, incluindo coordenação e cooperação com autoridades federais, estaduais e locais envolvidas.

Um dique construído após a passagem do furacão Georges, em 1998, evitou danos graves na refinaria de Pascagoula. A brecha aberta em uma das seções do dique será reparada esta semana, mas ainda serão necessários alguns dias para se estimar os danos e quando as operações poderão ser retomadas em segurança. Uma das linhas de força que alimentam a refinaria foi restabelecida. Geradores foram instalados para abastecer o terminal comercial da planta, permitindo a companhia fornecer gasolina e óleo diesel para serviços de emergência locais, assim como as 25 postos de serviço Chevron e Texaco que estão agora abertos na área. A companhia também informou que um serviço adicional de caminhões de entrega, vindos da Califórnia e da Flórida, estão agora no Mississippi para ajudar nos esforços de reabastecimento.

A passagem do Katrina e a conseqüente parada dos dutos de Colonial e Plantation causaram escassez de produtos ao longo das rotas onde a Chevron tem terminais e mercados. Esses dutos estão prestes a iniciar suas operações e a companhia está recebendo produtos de seus terminais na costa leste. Informações preliminares sobre o canal de navegação de Pascagoula, perto das docas da companhia, revelam que os impactos do Katrina não foram significantes e que o transporte deverá estar liberado em breve na região. A abertura do canal permitirá à Chevron trazer carregamentos gasolina e diesel para Pascagoula e arredores enquanto as operações das refinarias estiveram sendo restabelecidas.

Enquanto a companhia recupera suas instalações para trazer seus funcionários e constrados de volta, a prioridade é manter disponível abrigo e estoques de água, alimentos e roupas. Com esse objetivo, a Chevron está abrindo alojamentos temporários perto da refinaria de Pascagoula com camas para os cerca de 1.500 funcionários e suas famílias cujas casas foram destruídas ou seriamente danificadas. Para ajudar empregados e a comunidade na região afetadas pela catástrofe, a Chevron fez uma doação inicial de US$ 5 milhões – US$ 3 milhões para a Cruz Vermelha Americana e uma doação adicional de US$ 2 milhões que será destinada a comunidades localizadas ao longo da costa do golfo.

BP AMERICA – A Cruz Vermelha Americana também recebeu US$ 4 milhões da britânica BP, incluindo doações de empregados e clientes.  A companhia retomou a produção na unidade de Holstein SPAR, de águas profundas, que agora está se aproximando do patamar de 70 mil barris de óleo equivalente (boe). Os dutos de Caesar e Cleopatra, que servem ao campo de Holstein, também retornaram ao serviço. A companhia também retomou a produção de 55 mil boe na região oeste do Golfo do México e nas unidades onshore da Louisiana. Equipes de inspeção informaram que não houve danos graves nas instalações de águas profundas da BP. Relatórios revelam danos em várias plataformas com produção relativamente pequena nas áreas West Delta e Grand Isle.

A energia foi restabelecida na planta de processamento de gás natural de Pascagoula, mas a unidade não estará em condições de operar enquanto os dutos de fornecimento não estiveram em funcionamento. A BP continua a enfrentar problemas de abastecimento em alguns terminais de combustível e alguns postos estão com estoques esgotados. A maior parte dos problemas nos postos de gasolina estão ocorrendo na região sudeste, que é servida por dutos ligados ao golfo. Equipes da companhia estão correndo contra o relógio para minimizar a interrupção de abastecimento e o impacto aos consumidores. A BP informa que está aumentando a produção de combustível em suas refinarias e trazendo carregamentos de gasolina para portos do país. Também foram acionados recursos rodoviários e marítimos para a distribuição de combustível.

MARATHON OIL CORPORATION – A refinaria localizada em Garyville (Louisiana), pertencente à Marathon, retomou a produção de 245 mil barris diários. A companhia atribui a recuperação ao esforço de seus empregados, contratados, grupo locais e agências governamentais. Além disso, deste a última segunda-feira (5/9) todas as sete refinarias da Marathon estão a plena capacidade, produzindo 980 mil barris diários, com todas as operações de dutos normalizadas.

A plataforma Ewing Bank, localizada a mais de 200 quilômetros de Nova Orleans, está operando a plena capacidade de produção (17 mil barris diários de óleo e 17,5 milhões de metros cúbicos diários de gás) desde a manhã da última segunda-feira. A unidade apresenta pequenos danos e retornou à produção no último final de semana. As três plataformas em South Pass (1.500 barris de óleo diários e 7,5 milhões de metros cúbicos diários) tiveram danos maiores, incluindo estragos estruturais em duas das três unidades. Equipes técnicas avaliam que as plataformas (localizadas a 160 quilômetros de Nova Orleans) vão precisar de várias semanas, possivelmente meses, para serem reparadas. Enquanto isso, a produção permanecerá parada. Enquanto os consertos estão em andamento, instalações em terra localizadas em Venice (Louisiana) e usada por South Pass também foram seriamente afetadas pela tempestade. Com isso, a retomada da produção de óleo e gás em South Pass dependerá não somente dos reparos nas plataformas, mas também das instalações localizadas em terra.

A Marathon continua a assistir seus mais de 650 mil empregados e suas famílias em Louisiana, Mississippi e Alabama, que foram afetados pelo furacão. Foram contactados todos os trabalhadores e, segundo a companhia, estão todos a salvo. Está sendo fornecida toda a assistência possível, incluindo comida, água, geradores e outras utensílios domésticos, como também alojamentos temporários para aqueles que tiveram suas casas seriamente danificadas ou destruídas. Também estão sendo disponibilizados empréstimos sem juros de até US$ 10 mil para os esforços de reconstrução.

NEWFIELD EXPLORATION COMPANY – Logo após a passagem do Katrina pelo Golfo do México, a Newfield informou que inspeções aéreas na região leste constataram que a plataforma A de produção, localizada no bloco Main Pass 138, foi perdida na tempestade. Todas os outros equipamentos da companhia aparentam estar intactos. Antes da passagem do Katrina, a companhia estava produzindo 1.500 barris diários de óleo, com aproximadamente 92% da capacidade. A produção foi interrompida em 27 de agosto e mais de 250 empregados foram removidos.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar