acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empreendedorismo

Empresas de energia são aprovadas na Incubadora da Coppe/UFRJ

01/10/2012 | 11h06
Empresas de energia são aprovadas na Incubadora da Coppe/UFRJ
TN Petróleo TN Petróleo

 

A Incubadora da Coppe/UFRJ aprovou quatro empresas em seu edital de seleção. Todas elas são compostas por pesquisadores da instituição e atuam no setor de energia, três são focadas em petróleo e gás e uma, em energia renováveis: Vydia (monitoramento de corrosão), Scan (monitoramento de estruturas), Petrec (imagem sísmica).
A Vidya preencherá a lacuna de serviços de monitoramento em corrosão no mercado nacional. Com foco inicial em refinarias de petróleo, a empresa utiliza inovações desenvolvidas no Laboratório de Corrosão da Coppe (Labcorr). Enquanto duas tecnologias são finalizadas, serviços especializados em monitoramento de corrosão serão oferecidos.
Também voltada para o setor de óleo e gás, a Scan oferece monitoramento contínuo de grandes estruturas através da medição das suas vibrações naturais. A partir de tecnologias para o monitoramento em terra (onshore), a empresa desenvolve soluções para plataformas de petróleo e outras estruturas marítimas (offshore). Com isso, é possível evitar acidentes, analisar o envelhecimento e maximizar a vida útil de instalações desgastadas.
A Petrec oferece novas soluções de imagens sísmicas, desenvolvidas no Laboratório de Métodos Computacionais da Coppe (LAMCE). Apesar de já existiram serviços de sísmica no mercado nacional, não solução para imagens dos reservatórios do pré-sal. A agilidade de uma pequena empresa como a Petrec permite a rápida implementação de novas tecnologias e algoritmos matemáticos.
A EDB Renováveis oferece soluções para a geração de energia solar (fotovoltaica). Além de desenvolver projetos de minigeração urbana, criando valor para negócios já existentes, a empresa oferece projetos de grandes usinas de energia solar, inclusive prospectando regiões com alto potencial de geração. O foco inicial para as usinas é a região Nordeste.
Vocação confirmada
Para Lucimar Dantas, gerente de operações da Incubadora, o processo deste ano foi bastante competitivo. “O resultado final mostra o amadurecimento do ambiente empreendedor na UFRJ, com tecnologias desenvolvidas aqui sendo colocadas no mercado,” avalia a gerente.
Antes de serem selecionadas, as quatro novas empresas passaram por um rigoroso processo seletivo e deixaram muitas concorrentes para trás. Das 19 propostas apresentadas, dez foram pré-aprovados e encaminhadas para o Curso de Iniciação Empresarial. Os oito planos de negócio elaborados durante este curso são dos setores de energia, meio ambiente e TIC; comprovando a vocação da Incubadora.

A Incubadora da Coppe/UFRJ aprovou quatro empresas em seu edital de seleção. Todas elas são compostas por pesquisadores da instituição e atuam no setor de energia, três são focadas em petróleo e gás e uma, em energias renováveis: Vydia (monitoramento de corrosão), Scan (monitoramento de estruturas), Petrec (imagem sísmica).


A Vidya preencherá a lacuna de serviços de monitoramento em corrosão no mercado nacional. Com foco inicial em refinarias de petróleo, a empresa utiliza inovações desenvolvidas no Laboratório de Corrosão da Coppe (Labcorr). Enquanto duas tecnologias são finalizadas, serviços especializados em monitoramento de corrosão serão oferecidos.


Também voltada para o setor de óleo e gás, a Scan oferece monitoramento contínuo de grandes estruturas através da medição das suas vibrações naturais. A partir de tecnologias para o monitoramento em terra (onshore), a empresa desenvolve soluções para plataformas de petróleo e outras estruturas marítimas (offshore). Com isso, é possível evitar acidentes, analisar o envelhecimento e maximizar a vida útil de instalações desgastadas.


A Petrec oferece novas soluções de imagens sísmicas, desenvolvidas no Laboratório de Métodos Computacionais da Coppe (LAMCE). Apesar de já existiram serviços de sísmica no mercado nacional, não solução para imagens dos reservatórios do pré-sal. A agilidade de uma pequena empresa como a Petrec permite a rápida implementação de novas tecnologias e algoritmos matemáticos.


A EDB Renováveis oferece soluções para a geração de energia solar (fotovoltaica). Além de desenvolver projetos de minigeração urbana, criando valor para negócios já existentes, a empresa oferece projetos de grandes usinas de energia solar, inclusive prospectando regiões com alto potencial de geração. O foco inicial para as usinas é a região Nordeste.



Vocação confirmada


Para Lucimar Dantas, gerente de operações da Incubadora, o processo deste ano foi bastante competitivo. “O resultado final mostra o amadurecimento do ambiente empreendedor na UFRJ, com tecnologias desenvolvidas aqui sendo colocadas no mercado,” avalia a gerente.


Antes de serem selecionadas, as quatro novas empresas passaram por um rigoroso processo seletivo e deixaram muitas concorrentes para trás. Das 19 propostas apresentadas, dez foram pré-aprovados e encaminhadas para o Curso de Iniciação Empresarial. Os oito planos de negócio elaborados durante este curso são dos setores de energia, meio ambiente e TIC; comprovando a vocação da Incubadora.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar