acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Parceria

Empresa de Taiwan tem interesse na Premium II

08/08/2012 | 11h14

 

Mais uma empresa estrangeira manifestou interesse em se tornar sócia da Petrobras na refinaria Premium II, a ser construída no Complexo Industrial e Portuário do Pecém. Desta vez, os investidores são de Taiwan (China Nacionalista), segundo informou o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado (Adece), Roberto Smith.
Até o momento, portanto, são pelo menos quatro as possibilidades de parceiros para o empreendimento. As conversações, contudo, ainda são iniciais.
"Eles (os empresários de Taiwan) fizeram o contato, e estamos aguardando. Esses contatos são feitos através de representantes, então isso é uma fase embrionária", comenta Smith.
Segundo ele, a Adece tem se mostrado disponível para agendamento de encontro com representantes de possíveis investidores para a refinaria de petróleo cearense.
O nome da empresa que buscou o estado interessada no empreendimento, contudo, foi guardado em sigilo pelo presidente da Adece.
Ele acrescentou que o órgão ainda se encontra no aguardo do contato de uma outra empresa que mostrou interessa na Premium II, de nacionalidade espanhola. "Eles ficaram de vir conversar conosco, para se apresentar ao governador", diz.
"Há uma movimentação interessante. A negociação deve ser feita com a Petrobras, o sócio é da Petrobras, não do governo. Mas governo tomou iniciativa de fazer os contatos. Em função dessa publicização (de que a estatal está aberta a incluir parceiros estrangeiros na refinaria), há interesses primeiros", afirma Roberto Smith.
Outras prospecções
Além destas duas empresas, o governo também irá negociar com a Galp Energia, de Portugal, e a GS Caltex, da Coreia do Sul, conforme informou o "Diário do Nordeste" na edição do último sábado (4). Em setembro próximo, o governador Cid Gomes irá ao país asiático para se encontrar com os executivos da GS, que é a segunda maior empresa de petróleo de lá, detentora de mais de 30% do mercado sul-coreano de refino.
A Galp, que é atualmente o único grupo integrado de produtos petrolíferos e gás natural de Portugal, é outra empresa que está na agenda do governador, apesar de este já admitir que as possibilidades com ela sejam menores, em virtude da conjuntura do país diante da crise internacional.
Abertura
Cid Gomes recebeu, no mês passado, a informação da presidente da Petrobras, Graça Foster, de que a empresa estaria aberta à inclusão de um sócio estrangeiro na refinaria cearense.
A Premium II estaria garantida em seu cronograma, com início de operações previsto para o fim de 2017, podendo este prazo se estender até meados de 2018. A entrada de um parceiro, contudo, poderá adiantar este cronograma.
Foster descarta mudar projeto do CE
Em São Paulo, a presidente da Petrobras, Graça Foster, descartou na terça-feira (7) mudanças nos projetos das novas refinarias da Petrobras para atender a demanda interna por gasolina e, assim, reduzir as necessidades de importação do combustível. O foco das novas refinarias é a produção de óleo diesel. Para ela, a melhor forma de diminuir o déficit de combustíveis no país é aumentar a produção de etanol.
"O etanol deve voltar com força para que a gente possa manter os projetos de nossas refinarias", disse Graça Foster.
Apesar da crítica dos usineiros à falta de incentivos aos investimentos na produção de álcool, a presidente da Petrobras disse que a estatal trabalha com a prerrogativa de que, em 2014, a oferta de etanol "estará presente".
Alteração traria mais atraso
"Vamos dar tempo ao tempo. Sou rígida na questão de mudança de escopo, e a alteração de projetos vai atrasar ainda mais a entrega das refinarias", disse.
Segundo Graça, os investimentos da Petrobras em refino somam US$ 71,6 bilhões até 2016. O volume inclui projetos em implantação e refinarias em fase de avaliação, como as refinarias Premium I, no Maranhão, e Premium II, no Ceará.
"Se não ampliarmos a capacidade de refino, estaremos mais expostos à volatilidade dos preços do petróleo e de derivados do mundo", disse. A estatal estima que a demanda por derivados crescerá 4,5% ao ano até 2016, para 3,4 milhões de barris por dia. Hoje, o consumo, de 2,24 milhões de barris, já supera a capacidade de refino, de 2,03 milhões de barris diários. Já a produção de petróleo passará dos atuais 2 milhões de barris por dia, para 4,5 milhões de barris diários até 2020. "É preciso ter refinarias eficientes para que possamos refinar esse petróleo".
Bancada se reúne
Sob a coordenação do deputado Federal José Guimarães, a bancada do Nordeste na Câmara realiza nesta quarta-feira (8), reunião com a Petrobras, para discutir os investimentos da empresa na área de exploração e produção de petróleo no Norte e Nordeste do Brasil.

Mais uma empresa estrangeira manifestou interesse em se tornar sócia da Petrobras na refinaria Premium II, a ser construída no Complexo Industrial e Portuário do Pecém. Desta vez, os investidores são de Taiwan (China Nacionalista), segundo informou o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado (Adece), Roberto Smith.


Até o momento, portanto, são pelo menos quatro as possibilidades de parceiros para o empreendimento. As conversações, contudo, ainda são iniciais.


"Eles (os empresários de Taiwan) fizeram o contato, e estamos aguardando. Esses contatos são feitos através de representantes, então isso é uma fase embrionária", comenta Smith.


Segundo ele, a Adece tem se mostrado disponível para agendamento de encontro com representantes de possíveis investidores para a refinaria de petróleo cearense.


O nome da empresa que buscou o estado interessada no empreendimento, contudo, foi guardado em sigilo pelo presidente da Adece.


Ele acrescentou que o órgão ainda se encontra no aguardo do contato de uma outra empresa que mostrou interessa na Premium II, de nacionalidade espanhola. "Eles ficaram de vir conversar conosco, para se apresentar ao governador", diz.


"Há uma movimentação interessante. A negociação deve ser feita com a Petrobras, o sócio é da Petrobras, não do governo. Mas governo tomou iniciativa de fazer os contatos. Em função dessa publicização (de que a estatal está aberta a incluir parceiros estrangeiros na refinaria), há interesses primeiros", afirma Roberto Smith.



Outras prospecções


Além destas duas empresas, o governo também irá negociar com a Galp Energia, de Portugal, e a GS Caltex, da Coreia do Sul, conforme informou o "Diário do Nordeste" na edição do último sábado (4). Em setembro próximo, o governador Cid Gomes irá ao país asiático para se encontrar com os executivos da GS, que é a segunda maior empresa de petróleo de lá, detentora de mais de 30% do mercado sul-coreano de refino.


A Galp, que é atualmente o único grupo integrado de produtos petrolíferos e gás natural de Portugal, é outra empresa que está na agenda do governador, apesar de este já admitir que as possibilidades com ela sejam menores, em virtude da conjuntura do país diante da crise internacional.



Abertura


Cid Gomes recebeu, no mês passado, a informação da presidente da Petrobras, Graça Foster, de que a empresa estaria aberta à inclusão de um sócio estrangeiro na refinaria cearense.


A Premium II estaria garantida em seu cronograma, com início de operações previsto para o fim de 2017, podendo este prazo se estender até meados de 2018. A entrada de um parceiro, contudo, poderá adiantar este cronograma.



Foster descarta mudar projeto do CE


Em São Paulo, a presidente da Petrobras, Graça Foster, descartou na terça-feira (7) mudanças nos projetos das novas refinarias da Petrobras para atender a demanda interna por gasolina e, assim, reduzir as necessidades de importação do combustível. O foco das novas refinarias é a produção de óleo diesel. Para ela, a melhor forma de diminuir o déficit de combustíveis no país é aumentar a produção de etanol.


"O etanol deve voltar com força para que a gente possa manter os projetos de nossas refinarias", disse Graça Foster.


Apesar da crítica dos usineiros à falta de incentivos aos investimentos na produção de álcool, a presidente da Petrobras disse que a estatal trabalha com a prerrogativa de que, em 2014, a oferta de etanol "estará presente".



Alteração traria mais atraso


"Vamos dar tempo ao tempo. Sou rígida na questão de mudança de escopo, e a alteração de projetos vai atrasar ainda mais a entrega das refinarias", disse.


Segundo Graça, os investimentos da Petrobras em refino somam US$ 71,6 bilhões até 2016. O volume inclui projetos em implantação e refinarias em fase de avaliação, como as refinarias Premium I, no Maranhão, e Premium II, no Ceará.


"Se não ampliarmos a capacidade de refino, estaremos mais expostos à volatilidade dos preços do petróleo e de derivados do mundo", disse. A estatal estima que a demanda por derivados crescerá 4,5% ao ano até 2016, para 3,4 milhões de barris por dia. Hoje, o consumo, de 2,24 milhões de barris, já supera a capacidade de refino, de 2,03 milhões de barris diários. Já a produção de petróleo passará dos atuais 2 milhões de barris por dia, para 4,5 milhões de barris diários até 2020. "É preciso ter refinarias eficientes para que possamos refinar esse petróleo".



Bancada se reúne


Sob a coordenação do deputado Federal José Guimarães, a bancada do Nordeste na Câmara realiza nesta quarta-feira (8), reunião com a Petrobras, para discutir os investimentos da empresa na área de exploração e produção de petróleo no Norte e Nordeste do Brasil.

 



Fonte: Diário do Nordeste
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar