acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Tecnologia

Empresa de engenharia Saipem monta base em São Paulo

29/03/2012 | 15h41
A Saipem, empresa do grupo italiano Eni e uma das maiores prestadores de serviços de engenharia no setor de petróleo, vai investir US$ 300 milhões na construção de uma base de montagem de dutos e equipamentos submarinos para exploração e produção de petróleo e gás no Brasil. A instalação ocupará uma área de 350 mil metros quadrados no complexo industrial naval do Guarujá, em São Paulo, e será concluída em 2014. A unidade vai atender parte dos US$ 1,3 bilhão em contratos que a empresa possui com a Petrobras e a futuros projetos.

O alvo da companhia é a aquecida demanda por equipamentos submarinos no pré-sal. Com a unidade, a multinacional de origem italiana também pretende aumentar o índice de nacionalização dos seus produtos.

O investimento foi apresentado na quarta-feira (28) para as principais petroleiras em atuação no país, em evento organizado pela Saipem no Rio. Entre os convidados estavam representantes de Petrobras, Statoil, OGX, BP, BG, entre outras companhias. No encontro, também foi anunciado o novo presidente da Saipem no Brasil, Giuseppe Surace, que substitui Giorgio Martelli.

"Estamos apresentando uma estratégia de crescimento no país. O investimento é um misto de construção de dutos submarinos com investimentos em engenharia. Os dois também podem ser vistos como investimentos em conteúdo local", explicou Martelli.

A base será construída em duas etapas. Na primeira, prevista para ser concluída este ano, será montada uma estrutura logística de suporte para a construção de dutos submarinos de gás. Em seguida, será montado um centro de tecnologia e construção submarina. A unidade vai demandar 950 empregos diretos e 4 mil indiretos.

Inicialmente, as instalações vão abrigar dois projetos em andamento para a Petrobras: um duto para o campo de Cernambi, na bacia de Santos e o "trunk line" - duto que conecta a plataforma marítima à costa - de Cabiúnas, de 380 km de extensão e 24 polegadas de diâmetro, ligando o campo de Lula, na bacia de Santos, à estação de Cabiúnas, no Rio.

Os outros contratos continuarão sendo desenvolvidos em uma área alugada pela Saipem no porto de São Sebastião, no litoral de São Paulo. Trata-se do duto de Guará-Lula, de 18 polegadas e 30 km de extensão, e os risers da plataforma P-55, para o campo de Roncador, na bacia de Campos.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar