acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Pemex

Em busca da produção perdida

16/02/2017 | 10h16
Em busca da produção perdida
TN Petróleo TN Petróleo

México tem uma década pela frente até recuperar os níveis de produção que registrou no início do século 21, quando o campo de Cantarel atingiu seu pico. Em 2004 o México atingiu uma produção total de 3,85 milhões de barris por dia, dois terços extraídos na região de Campeche, onde fica Cantarel e tornou o ativo-rei da Pemex.

Hoje, com uma produção de 1,7 milhão de barris por dia, inferior aos 2,5 milhões alcançados em 1980, um ano após Cantarel iniciar a produção, o país busca atrair oil companies do mundo inteiro por meio das licitações realizadas a partir da reforma energética implementada em 2013.

Além dos leilões de novas áreas, há um forte empenho da Pemex e do governo para conquistar parceiros para ativos da petroleira mexicana, que tem suas esperanças voltadas agora para as águas profundas, onde fez a descoberta do chamado Cinturão de Trión, próximo aos limites com as águas norte-americanas. E não muito longe do campo de perdido, operado pela Shell no setor mexicano do golfo do México.

Local onde o governo Trump não tem como construir muros, ainda que possa recorrer ao seu poderia bélico naval para patrulhar estes limites. Mas as reservas estão em profundidades de 3 mil metros de mar e até 6 mil metros no subsolo.



Fonte: Beatriz Cardoso do Golfo do México
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar