acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Tecnologia

Eletropaulo vai fazer teste em 2011

25/11/2010 | 09h53
A AES Eletropaulo anuncia hoje a realização de um projeto-piloto de "smart grid" na capital paulista, no bairro do Ipiranga, a partir de março. Durante um ano, a empresa avaliará uma rede de 2 mil clientes residenciais, industriais e comerciais. A instalação dos medidores eletrônicos começa a ser feita na próxima semana.
 

O diretor de tecnologia e serviços da Eletropaulo, Ricardo Van Erven, afirma que a escolha deveu-se à diversidade de clientes (consumidores de média tensão e baixa tensão) e da rede, que tem distribuição aérea e subterrânea, e contempla 39 circuitos secundários de distribuição. "Nossa busca foi por uma amostra bem diversificada para testar os medidores, a comunicação sem fio dos sensores distribuídos na rede e a redistribuição de energia nos circuitos secundários", afirma Erven. O investimento nos medidores está estimado entre R$ 4 milhões e R$ 5 milhões. A empresa não divulga o aporte total no projeto. A tecnologia "smart grid" será fornecida pelas empresas General Electric (GE), o grupo alemão Elster e o grupo inglês Ecil.
 

Esse não é o primeiro projeto-piloto anunciado no Brasil. Light, Cemig, Copel e Eletrobras também já deram início aos seus projetos de redes inteligentes. O chefe do departamento de gestão tecnológica da Eletrobras e diretor da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei), Luis Frade, observa que, desde 2000, as empresas de energia destinam 1% de sua receita operacional líquida para projetos de pequisa e inovação, em cumprimento a exigências legais. Mas, nos últimos dois anos, as empresas começaram a usar uma parte desses recursos no desenvolvimento de projetos de "smart grid".
 

Em 2010, o setor destinou para a área de pesquisa e desenvolvimento R$ 433 milhões. Desse total, diz Frade, aproximadamente 5% foram destinados a projetos de "smart grid". A estimativa da Anpei é que em 2011 os aportes em pesquisa aumentem para R$ 515 milhões e, em 2012, saltem para R$ 2,5 bilhões. "Com a proximidade da regulamentação da 'smart grid', o interesse das empresas em desenvolver pesquisas nessa área cresceu muito. É o tema que vai liderar as pesquisas daqui em diante", diz Frade.
 

Ele cita que no sistema Eletrobras, que reúne 62 laboratórios de pesquisa, existem projetos que vão da criação de cartões pré-pagos de consumo (como do celular) a sistemas para controle de distribuição da energia que seria gasta nas casas que tiverem carro elétrico.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar