acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
BNDES

Eletrobrás busca recursos para Angra 3

07/11/2008 | 02h56

O diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Eletrobrás, Astrogildo Quental, afirmou nesta quinta-feira (6) que a companhia deve entregar neste mês ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) carta-consulta para obter financiamento para a construção da usina nuclear Angra 3. Segundo ele, a estatal apresentou pedido de exceção para que o banco de fomento tenha autorização para financiar a obra avaliada em R$ 7 bilhões.

 

Pelas regras atuais, o BNDES não poderia liberar recursos para empresas estatais. O pedido terá que passar pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que deve conceder seu parecer em breve, conforme o executivo.

 

A estatal pretende obter R$ 4,5 bilhões do BNDES para a construção da usina. O restante dos recursos deve ter origem no próprio caixa da empresa e em captações externas que podem ser realizadas nos próximos anos. O executivo garantiu que a crise econômica não afetará o cronograma previsto para o projeto.

 

Biomassa - O presidente da Eletrobrás, José Antonio Muniz Lopes, disse que o novo estatuto da companhia permite que a empresa invista em projetos de geração de energia a partir da biomassa.
Segundo ele, a estatal está aberta a receber propostas de projetos de co-geração, mas ainda não analisa nenhuma proposta especificamente.

 

No entanto, o executivo ressaltou que a prioridade da empresa é implementar os projetos hidrelétricos planejados, com foco no estado do Pará.

 

“Uma energia a um custo barato a exemplo dos projetos do complexo do Rio Madeira”, afirmou durante palestra no evento Energia em Ação, promovido hoje em São Paulo.

 

Muniz também rebateu durante sua exposição as críticas a respeito do fortalecimento da Eletrobrás, que poderia reduzir a competitividade no setor.

 

“Não existe a intenção de transformar a Eletrobrás em instrumento de dumping, mas sim em um instrumento que possa garantir o abastecimento de energia no País,” afirmou.



Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar